2014
DOI: 10.1590/2175-3539/2014/0183762
| View full text |Cite
|
Sign up to set email alerts
|

Abstract: ResumoEste trabalho teve como objetivo revisar a produção científica brasileira publicada entre 2002 e 2012 sobre "queixa escolar" e analisar criticamente as suas principais características e os aspectos associados à sua produção. Foi realizada uma busca sistemática em três bases de dados bibliográficos (SCIELO, PEPSIC e Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações), com as palavras-chave queixa escolar e queixas escolares. Foram encontradas, inicialmente, 35 produções, e após uma pré-análise, restara… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
2
1
1

Citation Types

0
7
0
28

Year Published

2016
2016
2022
2022

Publication Types

Select...
5
2

Relationship

0
7

Authors

Journals

citations
Cited by 25 publications
(35 citation statements)
references
References 17 publications
0
7
0
28
Order By: Relevance
“…Isso chama a atenção para a possibilidade de os alunos entrarem num ciclo de fracasso escolar que prejudica tanto a qualidade da permanência e a conclusão do E.F., quanto o ingresso no E.M. (Alves et al, 2007;Bandeira et al, 2006;Jacomini, 2009). Deve-se ressaltar que fracasso ou o sucesso no processo de aprendizagem escolar é em menor frequência determinado por questões individuais do que por mecanismos interativos, pedagógicos, institucionais e políticos (Dazzani et al, 2014). Assim, o foco do olhar a respeito do baixo desempenho escolar não deve ser baseado em difi culdades psicológicas ou maturacionais dos alunos; mas sim na investigação dos processos relacionais entre os alunos e os contextos familiares, escolares e institucionais (Marturano & Elias, 2016).…”
Section: Discussionunclassified
See 2 more Smart Citations
“…Isso chama a atenção para a possibilidade de os alunos entrarem num ciclo de fracasso escolar que prejudica tanto a qualidade da permanência e a conclusão do E.F., quanto o ingresso no E.M. (Alves et al, 2007;Bandeira et al, 2006;Jacomini, 2009). Deve-se ressaltar que fracasso ou o sucesso no processo de aprendizagem escolar é em menor frequência determinado por questões individuais do que por mecanismos interativos, pedagógicos, institucionais e políticos (Dazzani et al, 2014). Assim, o foco do olhar a respeito do baixo desempenho escolar não deve ser baseado em difi culdades psicológicas ou maturacionais dos alunos; mas sim na investigação dos processos relacionais entre os alunos e os contextos familiares, escolares e institucionais (Marturano & Elias, 2016).…”
Section: Discussionunclassified
“…Tarefas repetitivas, ausência de relação entre os conteúdos escolares e vivências dos alunos, condições de trabalho docente precárias, avaliações maçantes e rígidas têm saturado o ambiente escolar, prejudicando o processo ensino-aprendizagem (Zambon & Rose, 2012). Tais difi culdades enfrentadas pelos estudantes ao longo do percurso escolar podem ser analisadas por meio do fenômeno do fracasso escolar que se manifesta pelos problemas na aprendizagem, problemas de comportamentos, baixo desempenho escolar, reprovações, evasões e abandonos (Dazzani, Cunha, Luttigards, Zucoloto, & Santos, 2014;Marturano & Elias, 2016).…”
Section: Los Predictores De Rendimiento Académico Al Final De La Educunclassified
See 1 more Smart Citation
“…Não raro também se ouvia relatos de familiares e professores responsabilizando os próprios alunos pelas dificuldades acadêmicas e comportamentais apresentadas, o que impedia uma compreensão contextualizada para tais demandas (Dazzani, Cunha, Luttigards, Zucoloto, & Santos, 2014;Pezzi et al, 2016) podendo, inclusive, intensificá-las. Assim, teve-se como objetivo investigar se existe contribuição e em que extensão os indicadores de problemas emocionais e de comportamento explicam o rendimento escolar de adolescentes matriculados nos anos finais do ensino fundamental, tendo como informantes os próprios adolescentes, seus familiares e professores.…”
unclassified
“…This leads to a double negative outcome: the denial of the disruptive behavior at school as a way to rethink and reflect upon the current educational practices and the medical drift of the student's disturbing actions, who becomes easily pathologized and enters the healthcare system. The medicalization of problems in the schooling process is an emergent trend not only in North America and Europe, but also in some of the so-called developing countries like in Brazil, where the increasing demand of mental health assistance for children in the school age has generated research aimed at understanding the phenomenon and intervening in response to it (Dazzani, Cunha, Luttigards, Zucoloto, & Santos, 2014;Zucoloto & Chaves, 2015). These studies emphasized (among other factors) a) the teachers' lack of training and support to pedagogically address differences in the class; and b) the importance of rethinking pedagogical practices to embrace diversity in the ordinary school activities.…”
Section: A Perspective From Cultural Psychologymentioning
confidence: 99%