2001
DOI: 10.1590/s1517-97022001000100008
View full text |Buy / Rent full text
|
Sign up to set email alerts
|

Abstract: O reconhecimento da violência no espaço escolar como um enclausuramento do gesto e da palavra, uma das novas questões sociais globais, parece ser um caminho interpretativo fecundo. O que está em risco é a função da escola de socialização das novas gerações, pois a instituição escolar aparece enquanto locus de explosão de conflitos sociais em, pelo menos, 23 países nos quais a violência na escola foi considerada um fenômeno de sociedade. A compreensão das relações entre a escola e as práticas da violência passa… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
1
1
1
1

Citation Types

0
0
0
18

Year Published

2010
2010
2016
2016

Publication Types

Select...
5

Relationship

0
5

Authors

Journals

citations
Cited by 24 publications
(18 citation statements)
references
References 1 publication
(18 reference statements)
0
0
0
18
Order By: Relevance
“…Tal resultado ressalta a necessidade de um olhar mais atento para as relações entre pares, visto que, dependendo da forma como se constroem estas relações, elas podem se configurar tanto como fator de proteção quanto fator de risco, pois essas relações podem influenciar os processos proximais e a formação de vínculos afetivos, aspectos tão importantes para a construção dos mecanismos de resiliência, para a permanência na escola e para o desenvolvimento humano (Amparo e cols., 2008;Bronfenbrenner, 2011;Poletto & Koller, 2008). Esse resultado pode indicar a presença de dificuldades nas relações entre pares, as quais durante a adolescência podem se caracterizar também pela presença de violência e conflitos, como reflexo da presença da violência na sociedade (Santos, 2001); porém esse aspecto precisa ser melhor investigado em estudos que abordem de forma mais aprofundada as relações entre pares no ambiente escolar.…”
Section: Discussionunclassified
“…Tal resultado ressalta a necessidade de um olhar mais atento para as relações entre pares, visto que, dependendo da forma como se constroem estas relações, elas podem se configurar tanto como fator de proteção quanto fator de risco, pois essas relações podem influenciar os processos proximais e a formação de vínculos afetivos, aspectos tão importantes para a construção dos mecanismos de resiliência, para a permanência na escola e para o desenvolvimento humano (Amparo e cols., 2008;Bronfenbrenner, 2011;Poletto & Koller, 2008). Esse resultado pode indicar a presença de dificuldades nas relações entre pares, as quais durante a adolescência podem se caracterizar também pela presença de violência e conflitos, como reflexo da presença da violência na sociedade (Santos, 2001); porém esse aspecto precisa ser melhor investigado em estudos que abordem de forma mais aprofundada as relações entre pares no ambiente escolar.…”
Section: Discussionunclassified
“…Esse projeto, que tinha como parceria o Instituto NOOS, Viva Rio -Balcão de Direitos, Mediare e Secretaria Municipal de Educação, foi aplicado em duas escolas públicas do Rio de Janeiro (Sales & Alencar, 2004). Outras experiências pontuais, aplicadas em algumas escolas surgiram nas cidades de São Paulo (Ruotti, Alves, & Cubas, 2006), de Porto Alegre (Santos, 2001) e no Estado do Ceará (Bezerra, 2008), entre outras.…”
Section: Mediação De Conflitos Na Escola: Brasilunclassified
“…De maneira coerente em relação às respostas obtidas, Santos (2001) retrata que a escola está inserida neste fenômeno social e sofre com os vários tipos de violência em seu interior e periferia. Oliveira (2008) ainda reafirma os tipos de violência mais frequentes, dizendo que a escola tem aparecido nos noticiários como um cenário de agressões, ameaças, uso de armas, consumo de drogas, furtos e roubos.…”
Section: Formas De Violênciaunclassified