2014
DOI: 10.1590/0034-737x201461000004
|View full text |Cite
|
Sign up to set email alerts
|

Fisiologia de espécies florestais da Amazônia: fotossíntese, respiração e relações hídricas

Abstract: A bacia amazônica tem mais de seis milhões de quilômetros quadrados e abriga a maior floresta tropical do mundo, sendo particularmente importante pela sua biodiversidade e pelo seu papel na ciclagem de água e carbono. Fotossíntese, condutância estomática e fluxo de seiva de espécies florestais da Amazônia apresentam variação ao longo do dia seguindo a variação diurna observada na irradiância, temperatura e o déficit de pressão de vapor. Em decorrência da fotorrespiração, cerca de 25% do carbono fixado é retorn… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
4
1

Citation Types

1
36
0
27

Year Published

2017
2017
2024
2024

Publication Types

Select...
8

Relationship

0
8

Authors

Journals

citations
Cited by 69 publications
(64 citation statements)
references
References 75 publications
(109 reference statements)
1
36
0
27
Order By: Relevance
“…K is an essential macronutrient for higher plants and the third element that most limits plant growth, with important role in the translocation of compounds elaborated in the plant tissue (Marenco & Lopes, 2005). It is appropriate to point out that leafy vegetables deserve attention with respect to water use, because the plants are strictly sensitive to water regime and the lack of water can compromise plant growth, while its excess can damage root respiration and lead to the occurrence of diseases.…”
Section: Resultsmentioning
confidence: 99%
“…K is an essential macronutrient for higher plants and the third element that most limits plant growth, with important role in the translocation of compounds elaborated in the plant tissue (Marenco & Lopes, 2005). It is appropriate to point out that leafy vegetables deserve attention with respect to water use, because the plants are strictly sensitive to water regime and the lack of water can compromise plant growth, while its excess can damage root respiration and lead to the occurrence of diseases.…”
Section: Resultsmentioning
confidence: 99%
“…Nkodo et al (2016), in a study on oil palm by the coast of Cameroon, observed that mean relative humidity of 85% 12 months and 24 months prior to harvest had the greatest impact on production with respect to the number of bunches and weight of the fruits. However, VPD is closely related to transpiration rates in tropical forests (Marenco et al, 2014). Dufrêne and Saugier (1993), in a study in the Ivory Coast, confirmed the sensitivity of stomatal conductance to changes in VPD and reported an exponential decline over a range of 0.8 to 2.0 kPa.…”
Section: Resultsmentioning
confidence: 70%
“…Inicialmente, a maior E a em plantas de maria-pretinha sob sombreamento de 65% é relacionada ao maior investimento de assimilados para a formação do aparato fotossintético como tentativa de aclimatação, buscando aumentar a área foliar disponível para a captação de radiação luminosa (Figura 1E). Além disso, é possível deduzir que aos 7 DAT a diferença entre a fotossíntese e a respiração neste nível de luminosidade foi maior nas condições de sombreamento, comparativamente às demais (Marenco & Lopes, 2005). Houve, em todos os níveis de sombreamento, um segundo pico de E a aos 49 DAT, que antecedeu em sete dias a intensificação da produção de matéria seca de fruto, em que os sombreamentos luz plena, 65% e 35% atingiram 7,03, 2,97 e 3,93 gm…”
Section: Resultsunclassified
“…Ademais, o número e a massa de frutos foram influenciados positivamente pelo sombreamento de 35%, o que não ocorreu sob luz plena, que manteve produção intermediá-ria, provavelmente devido à fotorrespiração presente em plantas com metabolismo C 3 (Marenco & Lopes, 2005), a exemplo do tomateiro, que pertence à mesma família botânica da maria-pretinha (Bezerra Neto & Nogueira, 1999). Por outro lado, a menor massa e o menor número de frutos no sombreamento de 65% são explicados pela reduzida luminosidade que atingiu o dossel das plantas, a qual pôde ser absorvida e convertida em energia química para crescimento e o desenvolvimento.…”
Section: Resultsunclassified
See 1 more Smart Citation