2016
DOI: 10.22256/pubvet.v10n10.721-730
|View full text |Cite
|
Sign up to set email alerts
|

Efeitos do estresse térmico na produção de vacas leiteiras: Revisão

Abstract: RESUMO. O Brasil apresenta destaque na produção mundial de leite, ocupando a quinta posição dentre os maiores produtores. Goiás ocupa a quarta posição no ranking dos estados produtores de leite, com perspectivas de aumento ao longo dos anos. Objetivou-se com este estudo descrever os efeitos do estresse térmico na produção de vacas leiteiras. O estresse térmico influencia na produção e composição centesimal do leite, tornando fundamental o fornecimento de ambiente que proporcione o conforto térmico aos animais.… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
2
1
1
1

Citation Types

0
3
0
7

Year Published

2018
2018
2022
2022

Publication Types

Select...
6

Relationship

0
6

Authors

Journals

citations
Cited by 9 publications
(11 citation statements)
references
References 20 publications
(20 reference statements)
0
3
0
7
Order By: Relevance
“…Vacas leiteiras de alta produção tendem a sofrer maior estresse térmico, pois geram mais calor em relação às de baixa produção e não o dissipam de modo eficiente, podendo apresentar quedas em torno de 22% da produção de leite em vacas de 40 kg/dia e 17% da produção em vacas de 15 kg de leite/dia. Além da queda na produção de leite, ocorre alteração na composição do leite com redução nos teores de gordura, proteína, cálcio, lactose, ácido cítrico e potássio (Melo et al, 2016).…”
Section: Estresse Térmico Nos Animaisunclassified
See 1 more Smart Citation
“…Vacas leiteiras de alta produção tendem a sofrer maior estresse térmico, pois geram mais calor em relação às de baixa produção e não o dissipam de modo eficiente, podendo apresentar quedas em torno de 22% da produção de leite em vacas de 40 kg/dia e 17% da produção em vacas de 15 kg de leite/dia. Além da queda na produção de leite, ocorre alteração na composição do leite com redução nos teores de gordura, proteína, cálcio, lactose, ácido cítrico e potássio (Melo et al, 2016).…”
Section: Estresse Térmico Nos Animaisunclassified
“…Bovinos leiteiros, principalmente os mais produtivos, apresentam uma considerável produção de calor metabólico, o que dificulta o seu equilíbrio térmico, quando submetidos a condições de calor, sendo mais susceptíveis ao estresse térmico (Carnevalli et al, 2019). Melo et al (2016) mencionam diminuição de produção de leite em vacas sob estresse calórico, em torno de 17% a 22% e alteração na composição do leite com redução nos teores de gordura, proteína, cálcio, lactose, ácido cítrico e potássio. Neste aspecto os sistemas integrados entram como uma boa opção para a integração da bovinocultura leiteira, dependendo do arranjo, podem fornecer forragem de boa qualidade, sombreamento e microclima mais favoráveis para a categoria (Santos et al, 2013).…”
Section: Bovinos De Leiteunclassified
“…A relação entre animal e área sempre é uma questão variável que pode ser influenciada por nível de umidade, fertilidade, produção vegetal, carga animal, topografia e variações climáticas (Oliveira et al, 2018). O estresse térmico é um problema que implica no manejo de vacas leiteiras nos trópicos e sub-trópicos, causando mudanças na composição do leite e reduções na produção, ingestão de alimentos e aumento na ingestão de água (Melo et al, 2016). A perda de produção é frequentemente observada, reduzindo a produção em 10% ou mais (Oliveira et al, 2018).…”
Section: Vasconcelos J M C E Schlindwein M Nunclassified
“…(7) A problem of adaptation of temperate climate breeds is observed in these regions, as they are more susceptible to physiological and behavioral problems caused by heat stress, whereas zebu breeds are more adapted to tropical regions and, therefore, more rustic and resistant compared to European breeds. According to Melo, (8) Bos taurus indicus animals are more tolerant than Bos taurus taurus animals due to their higher transpiration capacity and lower metabolic rate.…”
Section: Introductionmentioning
confidence: 99%