2016
DOI: 10.17652/rpot/2016.2.647
| View full text |Cite
|
Sign up to set email alerts
|

Abstract: Partindo do pressuposto que o trabalho é fator estruturante da vida psíquica e social dos sujeitos, buscouse compreender a relação entre a construção identitária e o processo de terceirização do trabalho no setor elétrico de Minas Gerais. Para tanto, utilizou-se da associação de dados obtidos por meio de revisão bibliográfica e estudo de caso que contemplou entrevista em profundidade com um trabalhador terceirizado do setor. Verificou-se um cenário de precarização associado à vulnerabilidade da saúde e seguran… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
3
1
1

Citation Types

0
0
0
5

Year Published

2019
2019
2021
2021

Publication Types

Select...
3

Relationship

0
3

Authors

Journals

citations
Cited by 3 publications
(5 citation statements)
references
References 7 publications
0
0
0
5
Order By: Relevance
“…Ou seja, essa medida tende a contribuir para o aumento da precariedade sempre que leva à diminuição do salário e dos benefícios, ocasionar maior rotatividade dos empregados, gerar aumento da jornada e incrementar os riscos de acidentes e de danos à saúde do trabalhador. Portanto, pode-se dizer que o estudo exposto colocou em evidência uma relação estreita entre a política de terceirização adotada pela empresa e a precarização do trabalho do eletricista, sendo que este resultado corrobora os achados de outras pesquisas em torno do tema, algumas voltadas também para o setor elétrico 3,4,2427 .…”
Section: Discussionunclassified
See 2 more Smart Citations
“…Ou seja, essa medida tende a contribuir para o aumento da precariedade sempre que leva à diminuição do salário e dos benefícios, ocasionar maior rotatividade dos empregados, gerar aumento da jornada e incrementar os riscos de acidentes e de danos à saúde do trabalhador. Portanto, pode-se dizer que o estudo exposto colocou em evidência uma relação estreita entre a política de terceirização adotada pela empresa e a precarização do trabalho do eletricista, sendo que este resultado corrobora os achados de outras pesquisas em torno do tema, algumas voltadas também para o setor elétrico 3,4,2427 .…”
Section: Discussionunclassified
“…Na ocasião, a terceirização no setor elétrico nacional vinha assumindo grandes proporções e a maior concessionária de distribuição de energia elétrica de Minas Gerais, a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), havia reduzido consideravelmente o quadro de funcionários próprios, chegando a terceirizar, já no ano de 2013, 68,51% de sua força de trabalho. Ao atuarem na construção e na manutenção de redes elétricas energizadas, os eletricistas terceirizados realizam atividades de risco 3 . Esse crescimento importante do número de trabalhadores terceirizados no setor elétrico exige uma análise pormenorizada e crítica a respeito dessa modalidade de trabalho.…”
Section: Introductionunclassified
See 1 more Smart Citation
“…Um estudo elaborado pela DIEESE (2017) destaca o alto grau de terceirização e precatização no setor elétrico, o que, em algumas empresas, representa cerca de 80 % da força de trabalho. Estudos mostram o impacto desta forma de contratação na construção identitária (Rabelo et al, 2016), no aumento dos acidentes e das doenças ocupacionais entre os profissionais contratados (Coutinho, 2015).…”
Section: Relação Com Terceirizadosunclassified
“…Através de inúmeros estudos empíricos e bibliográficos sobre os efeitos da terceirização em organizações brasileiras (BRIDI, 2015;CARVALHO, 2015;DIEESE, 1994DIEESE, , 2008DIEESE, , 2017DRUCK, 2013DRUCK, , 2016GIL, 2000;MANDARINI;ALVES;STICCA, 2016;MIRANDA, 2006;RABELO;CASTO;, é possível notar um rebaixamento geral das condições de trabalho e emprego das categorias terceirizadas, uma tendência de precarização das condições de trabalho evidenciada em perdas salariais e de direitos, aumento da intensidade do trabalho e riscos à saúde do trabalhador, aumento de acidentes de trabalho, além de dificuldades dos sindicatos para unificar as lutas comuns.…”
Section: Introductionunclassified