2009
DOI: 10.1590/s1414-32832009000300013
| View full text |Cite
|
Sign up to set email alerts
|

Abstract: As características do Sistema Único de Saúde (SUS) e da Estratégia de Saúde da Família (ESF) os aproximam do pensamento complexo, termo que não se refere à adjetivação de fenômeno de aspectos múltiplos, e sim ao marco teórico e epistemológico. Indícios de inadequação da formação dos profissionais de saúde para a atuação em Saúde da Família levaram a proposta de levantar a formação desses profissionais para a abordagem ampliada de saúde implicada no SUS/ESF. Foram realizados grupos focais com acadêmicos de Enfe… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
2
1
1
1

Citation Types

0
13
0
42

Year Published

2011
2011
2021
2021

Publication Types

Select...
5
3

Relationship

2
6

Authors

Journals

citations
Cited by 50 publications
(55 citation statements)
references
References 22 publications
0
13
0
42
Order By: Relevance
“…Apesar da pertinência da temática indicada nos depoimentos, ou pelos dados epidemiológicos, a falta de treinamento dos profissionais indica silêncio na sua formação com relação às dimensões subjetivas do ser humano, ferindo princípios da ESF, como a abordagem integral do usuário (11) . A falta de treinamento de profissionais para lidar com o consumo problemático de bebidas alcoólicas já vem sendo levantada em outros estudos, necessitando de ações que lidem com essa demanda (12)(13)(14) .…”
Section: Discussionunclassified
See 1 more Smart Citation
“…Apesar da pertinência da temática indicada nos depoimentos, ou pelos dados epidemiológicos, a falta de treinamento dos profissionais indica silêncio na sua formação com relação às dimensões subjetivas do ser humano, ferindo princípios da ESF, como a abordagem integral do usuário (11) . A falta de treinamento de profissionais para lidar com o consumo problemático de bebidas alcoólicas já vem sendo levantada em outros estudos, necessitando de ações que lidem com essa demanda (12)(13)(14) .…”
Section: Discussionunclassified
“…O contexto apresentado remete à questão da formação dos profissionais de saúde, que se pauta no modelo biomédico/fragmentário, cuja lógica valoriza as especialidades, havendo coêrencia na relutância/ dificuldade em que os profissionais apresentaram para abordar problemas de saúde de naturezas diferentes da abordagem biologicista (11,(15)(16) . Em outras experiências, semelhantes à presente, foram apontadas dificuldades relacionadas à visão estereotipada em relação à temática (16) , apreensão com a abordagem do tema junto aos usuários do sistema e o talhe curativo dentro da ESF (15) .…”
Section: Discussionunclassified
“…Para três autores, o fato de a formação estar ancorada no modelo biomédico de ensino implica um grande obstáculo para a conformação de novas práticas (MORETTI-PIRES, 2009;FIUZA et al, 2011;GUARESCHI et al, 2009).…”
Section: Gráficounclassified
“…Há evidências quanto ao bom desempenho da Atenção Básica (AB) à Saúde na orientação de sistemas públicos, em especial no que diz respeito à produção de atos de cuidar de indivíduos e grupos sociais que favoreçam a integralidade, a humanização e a qualidade da atenção dispensada (MOROSINI; CORBO, 2007). No Brasil, o ideário da Reforma Sanitária, incorporado pela instituição do Sistema Único de Saúde (SUS), demandou dos serviços uma nova lógica no desenvolvimento das práticas dos trabalhadores, tendo a Estratégia Saúde da Família (ESF) como eixo estruturante da AB (ALMEIDA; SOARES, 2002).…”
Section: Introductionunclassified
“…São características imprescindíveis deste: a interdisciplinaridade e visão crítico-social, a expertise técnica confluente com relações intersubjetivas dialógicas e respeitosas para com o outro, em que um profissional de saúde deve tanto se articular com os demais como promover articulação intersetorial (Moretti-Pires, 2009;Figueiredo, 2006;Schraiber et al, 1999). Trata-se de um padrão arraigado no processo de trabalho nas equipes investigadas, podendo estar implicado no silêncio/resistência destes profissionais em discutir o trabalho pela lógica da ESF (Moretti-Pires, 2009).…”
Section: Comunicação Saúde Educaçãounclassified