2015
DOI: 10.1590/0103-335220151804
|View full text |Cite
|
Sign up to set email alerts
|

Responsabilidades, cuidado e democracia

Abstract: Resumo As relações de cuidado são parte do cotidiano das pessoas e um fator na produção de desigualdades nas democracias, embora sejam pouco tematizadas na Ciência Política e praticamente ausentes na Ciência Política brasileira. A configuração dessas relações é determinante das possibilidades de acesso a recursos e à participação política, assim como para a garantia de integridade física e psíquica para os indivíduos. Embora a responsabilização das mulheres pelo trabalho doméstico, em que incluo o trabalho de … Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
1
1

Citation Types

0
5
0
16

Year Published

2015
2015
2021
2021

Publication Types

Select...
9

Relationship

3
6

Authors

Journals

citations
Cited by 19 publications
(21 citation statements)
references
References 12 publications
0
5
0
16
Order By: Relevance
“…Este parágrafo e os três que lhe são subsequentes retomam resumidamente a discussão apresentada em Biroli (2015b).…”
unclassified
“…Este parágrafo e os três que lhe são subsequentes retomam resumidamente a discussão apresentada em Biroli (2015b).…”
unclassified
“…Discursos fortemente arraigados atravessam a organização das famílias que tomam a mulher como naturalmente inclinadas ao cuidado (Alves, 2014;Sorj, 2014). Essas concepções reverberam no trabalho doméstico não remunerado, uma vez que é uma atividade desvalorizada e distribuída desigualmente entre homens e mulheres (Biroli, 2015). Ademais, nesse cenário, como apontam Fernandes e Mota (2014), mulheres com filhos pequenos permanecem mais tempo em casa, participam menos na gestão da renda familiar, bem como têm mais dificuldades em romper relações violentas, aprofundando as desigualdades de gênero.…”
Section: Discussão Atividades Laborais E Renda Das Mulheres Quilombolasunclassified
“…Essa lógica desconsidera questões fundamentais como a forte presença de mulheres em ocupações precárias, como é o caso das empregadas domésticas e daquelas que trabalham para o próprio consumo e o consumo familiar, principalmente no setor agrícola (Neves, 2013); os trabalhos desvalorizados socialmente que acumulam múltiplas desigualdades sociais -de classe, de gênero e de raça -, os quais impõem dificuldades para conciliar o trabalho doméstico remunerado com o trabalho doméstico não pago (Sorj, 2014); a alta concentração de renda e consequente conjugação de uma massa de trabalhadores destituída de recursos materiais e dispostas a vender sua mão de obra (Bernardino-Costa, 2015); a posição das mulheres, ainda profundamente marcada pela marginalização e inferiorização recorrentes das ocupações tipicamente 'femininas', de menor remuneração e menor status, e do salário inferior ao dos homens nas mesmas funções, profissões e níveis educacionais (Biroli, 2015).…”
Section: Gestão Do Bolsa Família E Efeitos No Cotidiano De Mulheres Qunclassified
“…Porém, é importante ponderar que essa discussão sofreu mudanças ao longo do tempo, e atualmente teóricas como JoanTronto (2013) trazem o cuidado como central para se pensar as sociedades e a democracia. Para uma análise mais detalhada, cf Biroli (2015)…”
unclassified