2001
DOI: 10.1590/s0011-52582001000400003
|View full text |Cite
|
Sign up to set email alerts
|

Que Democracia?: Uma Visão Conceitual desde a Perspectiva dos Países em Desenvolvimento

Abstract: M esmo a um observador iniciante não escapam dois grandes movimentos globais das duas últimas décadas: democratização e profunda integração econômica. Para o mundo em desenvolvimento, integração econômica exige políticas de ajuste e reforma econômica, inflexivelmente definidas pelas agências multilaterais de desenvolvimento. Diante dessa forte pressão externa, qual o grau de autonomia dos países emergentes no que se refere à definição da sua agenda Tendo como referência essas questões, este trabalho se divide … Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
1
1

Citation Types

0
0
0
2

Year Published

2011
2011
2024
2024

Publication Types

Select...
4
1

Relationship

0
5

Authors

Journals

citations
Cited by 6 publications
(2 citation statements)
references
References 37 publications
0
0
0
2
Order By: Relevance
“…Porém, desde os anos 1990 com a proposta de reforma do Estado brasileiro influenciada pela doutrina neoliberal e pela abordagem da "Nova Gestão Pública" (Hood, 1991), se abre a porta para A governança traz para as políticas públicas de educação critérios de avaliações típicos da racionalidade de livre mercado, como eficácia, eficiência e efetividade (Santos, 2001), propondo a modificação nas concepções de educação que passam a ser vistas como mercadorias a serem ofertadas e os estudantes como clientes que "consomem" sua formação que o Estado oferta e regula por Parcerias…”
Section: Conclusãounclassified
“…Porém, desde os anos 1990 com a proposta de reforma do Estado brasileiro influenciada pela doutrina neoliberal e pela abordagem da "Nova Gestão Pública" (Hood, 1991), se abre a porta para A governança traz para as políticas públicas de educação critérios de avaliações típicos da racionalidade de livre mercado, como eficácia, eficiência e efetividade (Santos, 2001), propondo a modificação nas concepções de educação que passam a ser vistas como mercadorias a serem ofertadas e os estudantes como clientes que "consomem" sua formação que o Estado oferta e regula por Parcerias…”
Section: Conclusãounclassified
“…Um elemento notável desse arranjo é a crença de que o presidente, por ter sido eleito por uma maioria, tudo pode e dele tudo é cobrado. A reduzida accountability horizontal, a pouca transparência dos processos de tomada de decisão das políticas governamentais, a grande distância entre as normas formais e o funcionamento concreto da maioria das instituições políticas e as concepções e práticas delegativas terminam por reviver e acentuar características do antigo autoritarismo (Santos, 2001).…”
Section: -Populistasunclassified