2018
DOI: 10.1590/1806-9584.2018v26n141089
|View full text |Cite
|
Sign up to set email alerts
|

Crítica feminista à ciência: das “feministas biólogas” ao caso das “neurofeministas”

Abstract: Resumo: Neste trabalho, reflito sobre a relação entre ciência, gênero e feminismo. Para isso, analiso as aproximações entre o importante grupo de pesquisadoras da área de gênero e ciência conhecidas como “feministas biólogas” e a rede internacional interdisciplinar de “neurocientistas feministas”, estabelecida em 2010, chamada NeuroGenderings. O objetivo da NeuroGenderings é trazer uma perspectiva feminista crítica aos estudos recentes sobre o cérebro, especialmente aqueles que buscam por diferenças entre home… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
1
1
1

Citation Types

0
0
0
9

Year Published

2019
2019
2023
2023

Publication Types

Select...
8

Relationship

1
7

Authors

Journals

citations
Cited by 11 publications
(9 citation statements)
references
References 6 publications
0
0
0
9
Order By: Relevance
“…O aparente equilíbrio de 58% de homens e 42% de mulheres traz realidades diferentes existentes dentro dos PPGs em PUR (de equilíbrio ou de maiorias femininas e masculinas). Chama-se a atenção que uma ciência feminista, ou minimamente equitativa, não se limita à presença de mais mulheres no campo científico e na produção de conhecimento (NUCCI, 2018). Ao longo da História, a ciência se pôs neutra, objetiva e racional, sendo complacente com a construção historiográfica predominantemente masculina (LOPES;COSTA, 2005).…”
Section: O Espaço No Debate Sobre Desenvolvimento E Gênerounclassified
“…O aparente equilíbrio de 58% de homens e 42% de mulheres traz realidades diferentes existentes dentro dos PPGs em PUR (de equilíbrio ou de maiorias femininas e masculinas). Chama-se a atenção que uma ciência feminista, ou minimamente equitativa, não se limita à presença de mais mulheres no campo científico e na produção de conhecimento (NUCCI, 2018). Ao longo da História, a ciência se pôs neutra, objetiva e racional, sendo complacente com a construção historiográfica predominantemente masculina (LOPES;COSTA, 2005).…”
Section: O Espaço No Debate Sobre Desenvolvimento E Gênerounclassified
“…Dentro dos entendimentos e teorizações feministas, emerge a crítica feminista a ciência, que se trata de um campo multidisciplinar, na qual fazem parte pesquisadoras de diversas áreas do conhecimento. Dentre seus objetivos está questionar a ciência, seus pressupostos básicos de neutralidade e racionalidade, bem como a possibilidade de se produzir uma ciência feminista, situada e localizada (NUCCI, 2018 (TABAK, 2002). Tais ações acontecem por meio de sua divisão No âmbito desses projetos muitos materiais foram produzidos e disponibilizados na internet, tais como vídeos, Almanaques, Histórias em Quadrinhos.…”
Section: Gênero E Ciência: Algumas Lacunas a Serem Preenchidasunclassified
“…O movimento feminista da segunda onda, um movimento social e político que surgiu no final na década de 1960, possuía o intuito de melhorar as condições das mulheres na sociedade e lutar por igualdade entre homens e mulheres (NUCCI, 2015). A partir deste movimento abertamente político, surgiu a teoria dos Estudos Feministas, projeto intelectual e acadêmico (KELLER, 2006).…”
Section: Introductionunclassified