2009
DOI: 10.1590/s1981-77462009000300013 View full text |Buy / Rent full text
|
|

Abstract: Neste artigo, defendo que as políticas de promoção da qualidade de vida no trabalho atualmente adotadas pelas empresas podem servir como um paliativo para aliviar os sintomas provocados pela intensificação do trabalho, mas não logram resolver as causas estruturais dos problemas enfrentados pelos trabalhadores. Reforço esta idéia argumentando que a necessidade de 'humanizar' o trabalho tem tradição na preocupação gerencial e, reafirmando a polissemia, a não materialidade e a relatividade do conceito de 'qualida… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance
Select...
0
0
0
10

Publication Types

Select...

Relationship

0
0

Authors

Journals