2012
DOI: 10.1590/s0011-52582012000100007
|View full text |Cite
|
Sign up to set email alerts
|

Preto no branco?: mensuração, relevância e concordância classificatória no país da incerteza racial

Abstract: A pergunta sobre raça/cor no censo brasileiro estabelece e institucionaliza categorias que podem se tornar um critério para diferenciação social, para estruturar relações raciais, definir identidades e esclarecer o que se entende popularmente por cor ou raça. A definição de fronteiras raciais também é importante para a implementação de políticas públicas que utilizam a variável raça como critério de inclusão. Regras informais de interação social observadas em posições de classe também contribuem para a codific… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
3
1
1

Citation Types

0
9
0
38

Year Published

2015
2015
2024
2024

Publication Types

Select...
6
1

Relationship

0
7

Authors

Journals

citations
Cited by 38 publications
(47 citation statements)
references
References 16 publications
(16 reference statements)
0
9
0
38
Order By: Relevance
“…Além disso, há evidências demonstrando a ambiguidade das medidas de raça ou cor no Brasil quando se utilizam diferentes estratégias de coleta da informação racial (Bailey;Loveman;Muniz, 2013;Bailey;Telles, 2006;IBGE, 2011;Loveman;Bailey, 2012;Simões;Jeronymo, 2007;Lim, 1998). Muniz (2012), por exemplo, demonstra que somente metade dos entrevistados em uma pesquisa de representatividade nacional se classifica ou é classificada dentro da mesma categoria racial quando se adota quatro metodologias distintas de coleta da informação racial. A inconsistência classificatória racial, a dificuldade de se identificar beneficiários legítimos das cotas, seria assim uma das barreiras técnicas à implantação de tais ações afirmativas.…”
Section: Síntese Do Pensamento Racial Brasileiro Do Século 20 E 21unclassified
See 3 more Smart Citations
“…Além disso, há evidências demonstrando a ambiguidade das medidas de raça ou cor no Brasil quando se utilizam diferentes estratégias de coleta da informação racial (Bailey;Loveman;Muniz, 2013;Bailey;Telles, 2006;IBGE, 2011;Loveman;Bailey, 2012;Simões;Jeronymo, 2007;Lim, 1998). Muniz (2012), por exemplo, demonstra que somente metade dos entrevistados em uma pesquisa de representatividade nacional se classifica ou é classificada dentro da mesma categoria racial quando se adota quatro metodologias distintas de coleta da informação racial. A inconsistência classificatória racial, a dificuldade de se identificar beneficiários legítimos das cotas, seria assim uma das barreiras técnicas à implantação de tais ações afirmativas.…”
Section: Síntese Do Pensamento Racial Brasileiro Do Século 20 E 21unclassified
“…A influência da variabilidade taxonômica sobre a composição racial populacional e as consequências de se adotar tipologias raciais binárias sobre a desigualdade de renda foram examinadas em artigos recentes (Bailey;Loveman;Muniz, 2013;Loveman;Bailey, 2012;Muniz, 2012), mas a influência da inconsistência racial sobre medidas de desigualdade educacional e de consumo ainda não foi analisada. Ainda não há evidência sobre a hipótese de que a incerteza racial classificatória seja um argumento pertinente para a não utilização da variável como critério locativo e distributivo de benefícios mitigadores de desigualdades.…”
Section: Síntese Do Pensamento Racial Brasileiro Do Século 20 E 21unclassified
See 2 more Smart Citations
“…Ora, se raça é um conceito sociológico e não biológico (Guimarães, 1999), o "negro" não pode ser visto como quem possui apenas marcas "objetivas" de negritude, mas quem tende a ser classificado como tal pelos outros por conta dessas marcas. Em segundo lugar, diferentes pesquisas têm demonstrado grande correlação entre o modo como as pessoas se autodeclaram racialmente e são percebidas pelos outros (Silva, 1999;Muniz, 2012;Prandi, 1996), o que relativiza a ideia de que as classificações raciais brasileiras são arbitrárias ou absurdamente contingentes. Em terceiro lugar, o problema da fluidez do modelo de classificação racial brasileiro pode ser contornado pela heteroclassificação múltipla, isto é, pela classificação das fotos por mais de uma pessoa.…”
Section: Metodologiaunclassified