2020
DOI: 10.1590/s0103-4014.2020.3498.007
|View full text |Cite
|
Sign up to set email alerts
|

Patogênese das novas morfologias do trabalho no capitalismo contemporâneo: conhecer para mudar

Abstract: resumo Este artigo sintetiza as inquietudes e preocupações geradoras do Projeto de Pesquisa intitulado “Impactos das novas morfologias do trabalho contemporâneo sobre o viver, o adoecer e o morrer de trabalhadores”, iniciado em 2019, no Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo (IEA-USP). Ele parte da identificação e reconhecimento dos principais estudos realizados sob a óptica sociológica (principalmente), porém o texto busca aprofundar as reflexões sobre a natureza e a complexidade dos meca… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
2
1
1
1

Citation Types

0
1
0
12

Year Published

2021
2021
2021
2021

Publication Types

Select...
1
1

Relationship

0
2

Authors

Journals

citations
Cited by 2 publications
(13 citation statements)
references
References 6 publications
(7 reference statements)
0
1
0
12
Order By: Relevance
“…Nosso intuito é colaborar com as discussões no campo da Saúde Mental Relacionada ao Trabalho (SMRT), um campo especial de estudos que, na perspectiva da Saúde do Trabalhador, reconhece o processo saúde-doença relacionado ao trabalho na sua dimensão psíquica. Refere-se, portanto, à persistência dos problemas de saúde mental na conexão com o trabalho, a manifestação do sofrimento, da relação sujeito e trabalho precarizado 2,3 e, necessariamente, os estudos englobam impactos patogênicos da perda de trabalho. O olhar interdisciplinar é imprescindível para um conhecimento mais completo em SMRT, bem como uma referência valiosa para análises críticas que possam contribuir com avanços na criação de políticas públicas de prevenção nos locais de trabalho e práticas de atenção à saúde dos trabalhadores 4 .…”
Section: Introductionunclassified
“…Nosso intuito é colaborar com as discussões no campo da Saúde Mental Relacionada ao Trabalho (SMRT), um campo especial de estudos que, na perspectiva da Saúde do Trabalhador, reconhece o processo saúde-doença relacionado ao trabalho na sua dimensão psíquica. Refere-se, portanto, à persistência dos problemas de saúde mental na conexão com o trabalho, a manifestação do sofrimento, da relação sujeito e trabalho precarizado 2,3 e, necessariamente, os estudos englobam impactos patogênicos da perda de trabalho. O olhar interdisciplinar é imprescindível para um conhecimento mais completo em SMRT, bem como uma referência valiosa para análises críticas que possam contribuir com avanços na criação de políticas públicas de prevenção nos locais de trabalho e práticas de atenção à saúde dos trabalhadores 4 .…”
Section: Introductionunclassified
“…As atividades educativas em saúde permitem a revisão de questões técnicas e científicas, isso pode desencadear a prática de metodologia ativa, dando à equipe multidisciplinar o protagonismo de seu aprendizado, pois a problematização de situações ocorridas no trabalho leva ao constante processo didático, o que facilita a remodelação, mencionada anteriormente. Entretanto, este dinamismo do saber não se limita às práticas assistenciais, mas se expande para o conhecimento que otimiza também as ações de segurança no trabalho (ANTONIOLLI, 2019 2020).…”
Section: Educação Em Saúdeunclassified
“…As questões referentes a caracterização sociodemográfica foram cinco (idade, sexo, estado civil, número de filhos e nível de escolaridade) e 14 de caracterização laboral (tipo de vínculo, ser aposentado ou não, previsão de aposentadoria, tempo de atuação na prefeitura, tempo de atuação na APS, tempo de atuação na unidade, número de vínculos empregatícios, carga horária semanal, renda familiar mensal, unidade de trabalho, ter retornado de férias nos últimos 30 dias anteriores à coleta de dados, realização de trabalhos noturnos, realização de trabalhos aos finais de semana e função exercida). Fonte: Elaborado pela autora (2020) Os participantes do estudo tinham entre 19 e 66 anos de idade, a maioria era do sexo feminino, referiu possuir companheiro, tinha de um a dois filhos e referiu ensino superior para o nível de escolaridade (Tabela 1).…”
Section: Aspectos éTicosunclassified
See 2 more Smart Citations