2007
DOI: 10.1590/s0011-52582007000100006
|View full text |Cite
|
Sign up to set email alerts
|

Modelos de capitalismo e economia política comparada: instituições, performance e as respostas alemã e japonesa aos desafios recentes

Abstract: O objetivo deste artigo é apresentar o approach "modelos de capitalismo", destacar algumas de suas implicações e mostrar sua relevância para o estudo da economia política. Apesar da existência de aspectos comuns que marcam a organização do capitalismo nos vários países, são também marcantes as diferenças, abrangendo áreas significativas, como relações industriais, organização do capital e do trabalho, relação bancos-empresas, modo de produção e papel do Estado. Estas diferenças têm implicações relevantes, torn… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
1

Citation Types

0
0
0
1

Year Published

2009
2009
2021
2021

Publication Types

Select...
3

Relationship

1
2

Authors

Journals

citations
Cited by 3 publications
(1 citation statement)
references
References 11 publications
0
0
0
1
Order By: Relevance
“…A persistência da seletividade política Os outros dois pilares estratégico adotado pelos governos do PT se cristalizaram na renovação de desenhos organizacionais corporativistas, mas agora ancorados em arranjos institucionais adaptados ao processo de modernização dos mercados de investimentos e ao ampliado sistema de participação estruturado a partir de 2003 no Executivo. No contexto de um capitalismo orientado politicamente (GUIMARÃES, 1977), o segundo foi estruturado por meio da ampliação do poder financeiro das centrais sindicais e do sistema sindical corporativista, 10.17771/PUCRio.DDCIS.56291 conferindo aos sindicatos das estatais um papel relevante nos colegiados gestores dos fundos de pensão das estatais. 2 Com isso, o governo soldou uma ampla aliança -embora transitória, como tornou-se evidente após a crise -envolvendo o grande empresariado, as lideranças sindicais e a alta burocracia gestora dos fundos de pensão das estatais.…”
Section: Espaço Estatal Como Mecanismo De Incorporação Política Seletivaunclassified
“…A persistência da seletividade política Os outros dois pilares estratégico adotado pelos governos do PT se cristalizaram na renovação de desenhos organizacionais corporativistas, mas agora ancorados em arranjos institucionais adaptados ao processo de modernização dos mercados de investimentos e ao ampliado sistema de participação estruturado a partir de 2003 no Executivo. No contexto de um capitalismo orientado politicamente (GUIMARÃES, 1977), o segundo foi estruturado por meio da ampliação do poder financeiro das centrais sindicais e do sistema sindical corporativista, 10.17771/PUCRio.DDCIS.56291 conferindo aos sindicatos das estatais um papel relevante nos colegiados gestores dos fundos de pensão das estatais. 2 Com isso, o governo soldou uma ampla aliança -embora transitória, como tornou-se evidente após a crise -envolvendo o grande empresariado, as lideranças sindicais e a alta burocracia gestora dos fundos de pensão das estatais.…”
Section: Espaço Estatal Como Mecanismo De Incorporação Política Seletivaunclassified