2015
DOI: 10.1590/s0104-12902015132279
View full text |Buy / Rent full text
|
Sign up to set email alerts
|

Abstract: ResumoO presente estudo teve por objetivo identificar os determinantes sócio-históricos atribuídos pelos usuários às vivências de cuidado na Estratégia Saúde da Família (ESF) na área rural do município de Sacramento/MG. Trata-se de um estudo exploratório com abordagem qualitativa, utilizando para a coleta de dados a técnica de grupos focais e para a interpretação dos resultados, a análise de conteúdo. Foram constituídos três grupos com representantes das famílias de três, dentre seis, povoados rurais, totaliza… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
2
2

Citation Types

0
4
0
12

Year Published

2016
2016
2018
2018

Publication Types

Select...
3

Relationship

0
3

Authors

Journals

citations
Cited by 12 publications
(39 citation statements)
references
References 27 publications
(39 reference statements)
0
4
0
12
Order By: Relevance
“…Studies on access to primary care and quality of care of rural populations (Oliveira et al, 2015;Uchoa et al, 2011) highlight a signifi cant improvement in living conditions following the expansion of primary care, particularly with regard to prenatal care, child growth and development, control of diabetes and hypertension, and expansion of dental care. There are few studies concerning mental health care in rural environments, but evidence from experiences in Spain clearly shows the importance of primary care to communities that live far from urban areas, such as rural populations (Ministerio de Sanidad y Politica Social, 2011).…”
Section: Psychosocial and Mental Health Care In Rural Environments: Amentioning
confidence: 99%
See 1 more Smart Citation
“…Studies on access to primary care and quality of care of rural populations (Oliveira et al, 2015;Uchoa et al, 2011) highlight a signifi cant improvement in living conditions following the expansion of primary care, particularly with regard to prenatal care, child growth and development, control of diabetes and hypertension, and expansion of dental care. There are few studies concerning mental health care in rural environments, but evidence from experiences in Spain clearly shows the importance of primary care to communities that live far from urban areas, such as rural populations (Ministerio de Sanidad y Politica Social, 2011).…”
Section: Psychosocial and Mental Health Care In Rural Environments: Amentioning
confidence: 99%
“…In a study conducted in rural environments, Oliveira et al (2015) observed that primary care teams based their actions on interdisciplinary and intersectoral perspectives with greater involvement of users in the organization of care and community action planning. They emphasized that, after understanding the direct connection between health and land as a material and symbolic living condition of these populations, care teams have been focused on enhancement of facilities and collective support services for families, such as housing, telephone systems and mobility.…”
Section: Psychosocial and Mental Health Care In Rural Environments: Amentioning
confidence: 99%
“…Nesse sentido, as distâncias não são unicamente da ordem geográfica, elas dizem respeito às dificuldades dos profissionais em estabelecer relações com os usuários, capazes de reconhecer, valorizar e incorporar em suas ações as identidades e particularidades conformadas no rural (SANTOS; GERHARDT, 2016). Os usuários valorizam, além da disponibilidade de serviços no território, a disponibilidade e presteza com que os profissionais os atendem (OLIVEIRA et al, 2015).…”
Section: Recompondo O Caminho Do Estudounclassified
“…Entretanto, isso não garante que esses direitos sejam alcançados em sua plenitude. Mesmo que não haja muitos estudos que analisem o acesso aos serviços de saúde no rural (TOVAR-CUEVAS; ARRIVILLAGA-QUINTERO, 2014), verifica-se que ainda persistem vazios assistenciais e, também, grandes distâncias a serem percorridas pelas equipes e usuários na busca pela oferta e acesso aos serviços de saúde (OLIVEIRA et al, 2015;GALVÃO et al, 2015;UCHOA et al, 2011;PERETTO et al, 2011). No rural brasileiro, o modelo campanhista de atendimento em saúde ainda perdura; as equipes de saúde deslocam-se do urbano para o rural de acordo com agendas pré-estabelecidas e com periodicidade que pode variar de uma a duas vezes por mês, no formato de equipes móveis (BURILLE; GERHARDT, 2014).…”
Section: Recompondo O Caminho Do Estudounclassified
“…Com o intuito de minimizar situações como a encontrada no estudo de Coriolano-Marinus et al (2015), onde ainda é possível verificar a presença das relações de poder entre os trabalhadores de saúde e a população assistida, a qual se considera apenas carente de cuidados, e ao mesmo tempo, não participa ativamente da gestão de seu autocuidado. Tal processo deve ser pensado de maneira ao usuário trabalhar ativamente na dinâmica do cuidado e das questões decisórias do processo de saúde, inclusive ao se tratar da avaliação das práticas oferecidas no âmbito da saúde coletiva (OLIVEIRA et al, 2015).…”
unclassified