2012
DOI: 10.1590/s0103-40142012000100006
|View full text |Cite
|
Sign up to set email alerts
|

Desenvolvimento sustentável: uma perspectiva econômico-ecológica

Abstract: O objetivo do trabalho é oferecer uma definição de desenvolvimento sustentável de uma perspectiva econômico-ecológica. Para tanto, foram analisadas inicialmente as condições históricas da formulação e a evolução do conceito de desenvolvimento sustentável, de suas origens como ecodesenvolvimento até sua nova apresentação como economia verde. Em seguida, foram avaliadas as premissas do conceito de sustentabilidade fraca que permite à economia ambiental neoclássica desconsiderar a realidade natural em suas formul… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
3
1
1

Citation Types

0
21
0
67

Year Published

2013
2013
2023
2023

Publication Types

Select...
4
3
1

Relationship

0
8

Authors

Journals

citations
Cited by 107 publications
(88 citation statements)
references
References 11 publications
0
21
0
67
Order By: Relevance
“…The two ways would seek the restraint of the economic agent to a level that was more advantageous to invest into the private costs of reduced levels of pollution. The balance between social and private costs related to environmental externalities is named, ironically, as "optimal pollution" (Romeiro, 2012).…”
Section: Economics: Internalization Capitalization or (De)commodificmentioning
confidence: 99%
“…The two ways would seek the restraint of the economic agent to a level that was more advantageous to invest into the private costs of reduced levels of pollution. The balance between social and private costs related to environmental externalities is named, ironically, as "optimal pollution" (Romeiro, 2012).…”
Section: Economics: Internalization Capitalization or (De)commodificmentioning
confidence: 99%
“…A publicação do Relatório do Clube de Roma em 1972, alertando sobre os perigos de a sociedade capitalista manter o modelo de crescimento econômico, baseado no uso extensivo e intensivo de recursos naturais sobre o relativo equilíbrio dos ecossistemas, elevou o tom dos debates sobre a relação entre sistema econômico e natural. A principal conclusão era que havia limites para o crescimento, porque sua continuidade levaria ao esgotamento dos recursos naturais e a degradação dos ecossistemas, provocando uma brusca queda na qualidade de vida das pessoas (Romeiro, 2012). O relatório sugeria que a sociedade precisava adotar um "novo" modelo de desenvolvimento, que primasse pela manutenção do capital natural 2 .…”
Section: _____unclassified
“…A sustentabilidade do sistema econômico indica que a atividade econômica e humana deva seguir os seguintes supostos (Merico, 2002, p. 32 Isso não significa que no sistema natural não ocorra troca de matéria e energia, ocorre, mas a natureza das trocas não tem por objetivo obter moeda, ou seja, não é uma troca econômica, mas busca a sobrevivência de cada ser ______ 5 Para uma discussão recente sobre Desenvolvimento Sustentável ver Romeiro (1999Romeiro ( , 2001Romeiro ( , 2012 vivo. A expansão econômica sofre os efeitos da restrição absoluta imposta pelo sistema natural, uma vez que ele é finito, além dos efeitos da Lei da Entropia, porque a transformação de matéria e energia (1ª Lei da Termodinâmica) gerará degradação entrópica irreversível na forma de poluição (2ª Lei da Termodinâmica) (Romeiro, 2012).…”
Section: _____unclassified
See 1 more Smart Citation
“…Em suma, uma análise realizada por Pearce, Markandya e Barbier (1992), apenas dois anos após a publicação do Relatório Brundtland, sugere que apesar da falta de precisão de alguns autores, as ideias em relação ao conceito se correlacionam. Posteriormente, outros autores realizaram análises do conceito de forma similar como, por exemplo: Acselrad (1999), Frey (2001), Guimarães (1992Guimarães ( , 2001), Herculano (1992), Montibeller-Filho (1993, Romeiro (2012), Sachs (2000Sachs ( , 2004Sachs ( , 2007, Veiga (2005), dentre outros. Ricupero (1993), em sua discussão sobre economia e meio ambiente, mostra que apesar da economia clássica ser autônoma e utilitarista em relação a natureza, alguns economistas e/ou pensadores do passado já perpassavam pelas questões ambientais (como Adam Smith, John S. Mill, David Ricardo, Thomas R. Malthus e mesmo Karl Marx).…”
Section: Lista De Figurasunclassified