1997
DOI: 10.1590/s0102-69091997000300005
| View full text |Cite
|
Sign up to set email alerts
|

Abstract: IntroduçãoOs enfoques economicistas e individualistas da vida social eram uma dasbêtes noires I do projeto sociológico de Durkheim. Parte da constituição da nova disciplina da Sociologia era distingui-la claramente da Psicologia e da Economia, não apenas em termos de objeto, mas também em termos de abordagem teórica. Ao contrário de análises individualistas, a sociedade era considerada por Durkheim como uma entidade sui generis, e não apenas um mero agregado dos seus componentes. Além disto, atitudes de cálcul… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
2
1
1

Citation Types

0
0
0
24

Year Published

2005
2005
2023
2023

Publication Types

Select...
6
2

Relationship

0
8

Authors

Journals

citations
Cited by 19 publications
(24 citation statements)
references
References 15 publications
(6 reference statements)
0
0
0
24
Order By: Relevance
“…Apesar das contestações nenhuma das estratégias utilizadas para considerar ações não instrumentais como ações instrumentais são convincentes, pois levantam mais questões do que respostas (BOUDON, 1998). Nesse sentido, Baert (1997) apresenta alguns pontos de limitação na teoria da escolha racional: a) a distinção entre agir como se fosse racional e agir racionalmente. Os teóricos da escolha racional se defendem argumentando que a ideia de que as pessoas agem racionalmente é confirmada, empiricamente, através de modelos teóricos que permitem previsões sobre as ações das pessoas e sobre os efeitos destas ações.…”
Section: Limitações Da Teoria Da Escolha Racionalunclassified
“…Apesar das contestações nenhuma das estratégias utilizadas para considerar ações não instrumentais como ações instrumentais são convincentes, pois levantam mais questões do que respostas (BOUDON, 1998). Nesse sentido, Baert (1997) apresenta alguns pontos de limitação na teoria da escolha racional: a) a distinção entre agir como se fosse racional e agir racionalmente. Os teóricos da escolha racional se defendem argumentando que a ideia de que as pessoas agem racionalmente é confirmada, empiricamente, através de modelos teóricos que permitem previsões sobre as ações das pessoas e sobre os efeitos destas ações.…”
Section: Limitações Da Teoria Da Escolha Racionalunclassified
“…As raízes da teoria da escolha racional 7 podem ser buscadas em Hobbes, cuja teoria política se baseava na visão de que o mundo era habitado por um conjunto de agentes racionais, orientados somente pelos seus interesses e, em algumas iniciativas, de Adam Smith, que empregou a lógica econômica para explicar a ação política. Ao se considerar a teoria da escolha racional em sua diversidade de vertentes, é possível, também, enxergar a filiação desta abordagem na tradição sociológica clássica e não apenas como uma aplicação de conceitos oriundos da economia na análise sociológica (Baert, 1997;Goldthorpe, 1998).…”
Section: Teoria Da Escolha Racional: Questões Sobre a Ação Dos Indivíunclassified
“…Como bem coloca Baert (1997), tem-se a emergência da teoria da escolha racional em tempos recentes e esta é surpreendente e revolucionária, principalmente por defender a emergência do homem econômico. É empregada de forma sofisticada para compreender diversos aspectos da vida social.…”
Section: Introductionunclassified