2008
DOI: 10.5102/ucs.v1i1.493
|View full text |Cite
|
Sign up to set email alerts
|

A psicopatologia e o diagnóstico numa abordagem fenomenológica–existencial

Abstract: RESUMO-Partindo da exposição de alguns pressupostos da fenomenologia e do existencialismo, é feita uma reflexão acerca dos aspectos teóricos e metodológicos referentes à psicopatologia e ao diagnóstico dentro dessa abordagem. Uma psicologia de base fenomenológico-existencial confirma a prioridade da relação com o outro na constituição do sujeito. Desse modo, o aspecto relacional assume um papel determinante no desenvolvimento saudável ou patológico e o aspecto essencial da existência humana, do qual se origina… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
1

Citation Types

0
0
0
1

Year Published

2017
2017
2017
2017

Publication Types

Select...
2

Relationship

0
2

Authors

Journals

citations
Cited by 2 publications
(1 citation statement)
references
References 1 publication
0
0
0
1
Order By: Relevance
“…Outro fator importante na análise do comportamento depressivo é a capacidade que o sujeito Tenório (2003) também afirma que o existencialismo fenomenológico compreende o sujeito como um ser livre, inserido em um mundo dotado de sentido particular, aberto às suas possibilidades, consciente de sua finitude e de sua responsabilidade perante suas escolhas, capaz de inventar e cuidar de sua própria existência mediante a práxis. De acordo com essa visão, a psicopatologia vai se manifestar por meio de uma vivência de sofrimento em que a pessoa se sente vítima e presa a um destino sombrio e a uma existência destituída de realizações gratificantes e prazerosas.…”
Section: Existencialismo Fenomenológicounclassified
“…Outro fator importante na análise do comportamento depressivo é a capacidade que o sujeito Tenório (2003) também afirma que o existencialismo fenomenológico compreende o sujeito como um ser livre, inserido em um mundo dotado de sentido particular, aberto às suas possibilidades, consciente de sua finitude e de sua responsabilidade perante suas escolhas, capaz de inventar e cuidar de sua própria existência mediante a práxis. De acordo com essa visão, a psicopatologia vai se manifestar por meio de uma vivência de sofrimento em que a pessoa se sente vítima e presa a um destino sombrio e a uma existência destituída de realizações gratificantes e prazerosas.…”
Section: Existencialismo Fenomenológicounclassified