2014
DOI: 10.1590/1982-370001272013
View full text |Buy / Rent full text
|
Sign up to set email alerts
|

Abstract: Este artigo aborda a questão da morte no cotidiano de trabalho de profissionais funerários. Profissionais de funerária têm condições de trabalho com risco físico e psíquico com possibilidade de desenvolvimento de burnout. Há sobrecarga de trabalho, contato com famílias enlutadas, sem ter preparo para essas tarefas. Não escolheram sua profissão, não têm capacitação nem órgão de classe que os represente. São vistos com desconfiança quando os trabalhos são cobrados ou há demora para realizar os trâmites necessári… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
1
1
1
1

Citation Types

0
1
0
3

Year Published

2014
2014
2021
2021

Publication Types

Select...
3

Relationship

0
3

Authors

Journals

citations
Cited by 6 publications
(2 citation statements)
references
References 3 publications
(2 reference statements)
0
1
0
3
Order By: Relevance
“…As (18) . Com a disseminação da COVID-19, essas manifestações têm sido bruscamente rompidas, fazendo com que os familiares necessitem buscar caminhos para lidar sozinhos com o fenômeno da morte e com a sobrecarga emocional gerada por esse evento (6) .…”
Section: Implicações Sociaisunclassified
“…As (18) . Com a disseminação da COVID-19, essas manifestações têm sido bruscamente rompidas, fazendo com que os familiares necessitem buscar caminhos para lidar sozinhos com o fenômeno da morte e com a sobrecarga emocional gerada por esse evento (6) .…”
Section: Implicações Sociaisunclassified
“…A morte nos mostra que há algo que não se pode vencer. Não surpreende constatar que os profissionais que lidam com os processos de morte e morrer em pacientes moribundos experimentem ansiedade (Dell'acqua, Tome, & Popim, 2013), fracasso e impotência (Percival & Johnson, 2013;Kovács, 2008), culpa e frustração, associadas aos sentimentos de impotência e tristeza (Mota, Gomes, Coelho, Lunardi, Filho, & Souza, 2011) e burnout (Kovács, Vaiciunas, & Alves, 2014;.…”
Section: A Relevância De Entender O Processo Da Morte E Do Morrer E Aunclassified
“…Ao considerar esse panorama, os profissionais de funerárias participaram de um curso sobre a morte com a proposta de aprofundamento de questões psicológicas, o qual abordou os temas: fases de desenvolvimento, morte inesperada, processos de luto, rituais, abordagem familiar e cuidado com o profissional do serviço funerário. Concluiu-se que esses profissionais experimentam condições de trabalho com risco físico e psíquico e necessitam de atenção por parte da sociedade em geral (Kovács et al, 2014).…”
Section: Profissionais Da Enfermagemunclassified
“…Among the few studies that have been interested in assessing the quality of working life of this peculiar working population, only a small number have assessed how the psychosocial factors of the funeral context can specifically impact burnout levels [ 8 ]. This is surprising since, among other mental health issues such as depression, death anxiety and post- and secondary-traumatic stress disorder that have been more extensively analyzed [ 9 , 10 , 11 , 12 , 13 , 14 ], funeral and mortuary workers, due to their work environment, are more likely to suffer from compassion fatigue and burnout [ 15 , 16 , 17 ], which in turn may leave to deleterious consequences for their health-related behaviors and impaired work ability [ 1 , 15 ]. This would be in line with the abovementioned health and care professions, which have in common these suffering dynamics in their daily working life.…”
Section: Introductionmentioning
confidence: 99%