2012
DOI: 10.5433/1679-4842.2012v14n2p236
|View full text |Cite
|
Sign up to set email alerts
|

Produção científica no Brasil sobre álcool e mulher: uma revisão bibliográfica

Abstract: Resumo:Comportamento conhecido como predominantemente masculino, o uso/abuso de álcool vem ganhando protagonismo também nas mulheres, com aumento significativo nos últimos anos. Realizou-se uma pesquisa bibliográfica para o levantamento da literatura científica brasileira que faz referência ao uso de álcool pelas mulheres, nomeadamente aquela produzida na forma de artigos publicados. A coleta de dados ocorreu nos meses de novembro de 2009 a julho de 2010, com base no Banco de Dados da interface Scielo, corresp… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
1
1
1

Citation Types

0
0
0
4

Year Published

2019
2019
2023
2023

Publication Types

Select...
3
2

Relationship

0
5

Authors

Journals

citations
Cited by 5 publications
(4 citation statements)
references
References 11 publications
(15 reference statements)
0
0
0
4
Order By: Relevance
“…O uso problemático de substâncias psicoativas pode aumentar o risco de desenvolvimento de transtornos mentais ou agravá-los (1) . Pereira (17) mostra que há associações entre dependência de álcool e transtornos mentais e psiquiátricos decorrentes do uso da droga. Entre desses transtornos estão a depressão, a ansiedade, a esquizofrenia e outros.…”
Section: Resultsunclassified
“…O uso problemático de substâncias psicoativas pode aumentar o risco de desenvolvimento de transtornos mentais ou agravá-los (1) . Pereira (17) mostra que há associações entre dependência de álcool e transtornos mentais e psiquiátricos decorrentes do uso da droga. Entre desses transtornos estão a depressão, a ansiedade, a esquizofrenia e outros.…”
Section: Resultsunclassified
“…O consumo de bebidas alcoólicas embora seja considerado um comportamento predominantemente masculino, também tem ganho protagonismo nas mulheres (Ferreira-Borges & Filho 2007;Pereira, 2012). O significativo aumento de dependentes de álcool do sexo feminino também verificado na presente amostra, suscita a necessidade de estudos que compreendam e aprofundem as especificidades do alcoolismo feminino, de modo a melhorar as intervenções psicoterapêuticas (Thom, 2000).…”
Section: Discussionunclassified
“…Tradicionalmente, embora o consumo excessivo de álcool tem sido considerado como uma conduta associada ao sexo masculino, o uso/abuso de álcool tem ganhado protagonismo também nas mulheres, com um aumento significativo, nos últimos anos (Ferreira-Borges & Filho, 2007;Pereira, 2012), em linha com o desenvolvimento económico e com a mudança de papéis da mulher na sociedade (Grucza, Bucholz, Rice, & Bierut, 2008). Arán (2003) justifica que o problema do consumo excessivo nas mulheres tem sido frequentemente visto em termos de desvio dos papéis tradicionalmente femininos, numa atitude socialmente estigmatizante, constatando assim, que o modelo moral permanece ainda muito vincado na nossa sociedade e que por detrás do rótulo de "alcoólica" há uma pessoa com vivências específicas, marcadas pelo sofrimento (físico e psicológico), angústia, frustração, insegurança, necessitando de uma reorganização do seu projeto de vida sem o consumo de álcool.…”
Section: O Consumo De Substâncias Psicoativas Ilícitas E De áLcoolunclassified
“…"ninho vazio". Contudo, pesquisas mais atuais revelam que o uso de bebidas alcoólicas por mulheres tem seu início mais precoce, entre 18-25 anos (OLIVEIRA;SANTOS, 2007, PEREIRA, 2012.Mesmo que o índice masculino para o consumo de álcool ainda seja maior que o feminino, as mulheres estão, cada vez mais, fazendo uso de drogas tanto lícitas quanto ilícitas. E esse aumento de etilistas femininas é preocupante, visto que elas são, da perspectiva biológica, metabolicamente menos tolerantes ao etanol, em consequência de alguns fatores como o peso e menor quantidade de água presente no corpo, maior taxa de gordura, o que está associado a uma menor quantidade de enzimas responsáveis pelo metabolismo do álcool(NOVAES et al, 2000, OLIVEIRA et al, 2012.E por esta razão, as mulheres são consideradas mais vulneráveis aos danos causados pelo etanol, com o consequente desenvolvimento de problemas de saúde, como doenças cardiovasculares e hepáticas, osteoporose, câncer de mama, distúrbios psiquiátricos, e risco de morte, tudo isso mesmo fazendo uso da droga por um menor período de tempo (PEREIRA, 2012).Pesquisas relatam que nenhuma quantidade de etanol é apontada como segura para ingestão durante a gestação e que os distúrbios consequentes desse consumo podem ocorrer até mesmo antes da descoberta da gravidez.…”
unclassified