2001
DOI: 10.1590/s0102-79722001000100014
View full text |Buy / Rent full text
|
Sign up to set email alerts
|

Abstract: Resumo O Inventário de Valores de Schwartz foi administrado a 300 estudantes universitários com o objetivo de estudar a relação entre as prioridades axiológicas e a freqüência de uso de preservativo no seu relacionamento sexual. Os dez tipos motivacionais de valores foram correlacionados com a variável dependente. A curva representando a relação entre as prioridades axiológicas e o uso de preservativo foi sinusóide mas não simétrica. Hedonismo, autodeterminação e estimulação correlacionaram-se positivamente co… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
2
1

Citation Types

0
5
0
10

Year Published

2007
2007
2015
2015

Publication Types

Select...
5

Relationship

1
4

Authors

Journals

citations
Cited by 22 publications
(15 citation statements)
references
References 24 publications
(15 reference statements)
0
5
0
10
Order By: Relevance
“…Estes fatos, além dos já apontados, podem justificar o insucesso das campanhas preventivas existentes no nosso país, bem como a não adoção do preservativo por um número significativo de pessoas. 11 Um estudo realizado sobre os comportamentos de adolescentes e doenças sexualmente transmissíveis identificou que as adolescentes com DST referiram mais frequentemente nunca ou apenas às vezes usar preservativo em suas relações sexuais, comparadas com aquelas que não apresentavam DST. 5 Ao mesmo tempo, apesar de um pequeno percentual de adolescentes ter respondido não conhecer o preservativo, este é um dado que merece atenção, já que há intensa divulgação -independente de sua qualidade e seu impacto no público-alvo -nos meios de comunicação sobre seu uso e finalidade, além das interações sociais entre pares, sendo esperado que todos os jovens tenham domínio do tema.…”
unclassified
“…Estes fatos, além dos já apontados, podem justificar o insucesso das campanhas preventivas existentes no nosso país, bem como a não adoção do preservativo por um número significativo de pessoas. 11 Um estudo realizado sobre os comportamentos de adolescentes e doenças sexualmente transmissíveis identificou que as adolescentes com DST referiram mais frequentemente nunca ou apenas às vezes usar preservativo em suas relações sexuais, comparadas com aquelas que não apresentavam DST. 5 Ao mesmo tempo, apesar de um pequeno percentual de adolescentes ter respondido não conhecer o preservativo, este é um dado que merece atenção, já que há intensa divulgação -independente de sua qualidade e seu impacto no público-alvo -nos meios de comunicação sobre seu uso e finalidade, além das interações sociais entre pares, sendo esperado que todos os jovens tenham domínio do tema.…”
unclassified
“…Tenho estudado a relação dos valores particularmente com quatro categorias de comportamentos e com várias reações dos trabalhadores signifi cativas na vida organizacional: comportamento social ou geral, comportamento do consumidor, comportamento econômico, comportamento organizacional. Na primeira categoria de comportamentos tenho pesquisado, em co-autoria com vários dos meus colaboradores, por exemplo, desde a relação dos valores com comportamentos bem pontuais como o uso de camisinha no relacionamento sexual (Tamayo, Lima, Marques & Martins, 2001) até a sua relação com o consumo de drogas (Tamayo, Nicaretta, Guimarães & Barbosa, 1995) passando pelo comportamento ecológico (Oliveira, Trocoli & Tamayo, 2002), a escolha de profi ssão (Tamayo, de Aria, Filho, Carvalho & Bertolinni, 1998;Tamayo & Mendonça, 2001) e a orientação política (Tamayo, Pimenta, Rolim, Rodovalho & Castro, 1996). Em relação à categoria de comportamento do consumidor, considero que as minhas pesquisas e dos meus alunos de graduação e pós-graduação foram pioneiras nesta área, já que, a meu conhecimento, não existiam investigações no país estudando o impacto dos valores pessoais sobre este tipo de comportamento.…”
Section: Valores Pessoaisunclassified
“…Condom use is widely recommended as a way of avoiding sexually transmitted diseases and involves both moral values and affective and sexual issues 5,6 . According to Camargo et al 7 , knowledge on HIV/AIDS does not always relate to the adoption of preventive behavior, and publicizing information on the disease does not necessarily lead to changes in habits.…”
Section: Introductionmentioning
confidence: 99%