2015
DOI: 10.1590/s0102-699220150002000010
|View full text |Cite
|
Sign up to set email alerts
|

Mudanças climáticas e distribuição social da percepção de risco no Brasil

Abstract: ResumoEste artigo tem por objetivos testar a aplicabilidade da teoria da sociedade de risco de Ulrich Beck para a sociedade brasileira contemporânea e analisar a distribuição social da percepção de risco associada às mudanças climáticas e ao aquecimento global. Para tanto, é feita uma revisão de teorias de risco, além de uma discussão crítica de sua aplicação ao caso das mudanças climáticas. Em seguida são apresentados resultados de pesquisa, verificando o efeito de diferentes variáveis sociodemográficas na pe… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
2
1
1
1

Citation Types

0
3
0
7

Year Published

2019
2019
2022
2022

Publication Types

Select...
8
1

Relationship

0
9

Authors

Journals

citations
Cited by 14 publications
(10 citation statements)
references
References 19 publications
0
3
0
7
Order By: Relevance
“…Há uma relação direta entre a percepção de risco e vivências prévias com eventos extremos. Provou-se que aqueles que habitam em zonas de risco sentem-se mais expostos à eventos extremos e possuem, portanto, uma melhor percepção de risco (RIBEIRO et al, 2014;BURSZTYN & EIRÓ, 2015;DEMSKI et al, 2016;BEJA et al, 2018;RUIZ, FARIA & NEUMANN, 2020;RUZ et al, 2020). Demski et al (2016) inclusive percebeu que o nível de engajamento pode ser maior entre aqueles que já presenciaram eventos climáticos extremos.…”
Section: Resultsunclassified
See 1 more Smart Citation
“…Há uma relação direta entre a percepção de risco e vivências prévias com eventos extremos. Provou-se que aqueles que habitam em zonas de risco sentem-se mais expostos à eventos extremos e possuem, portanto, uma melhor percepção de risco (RIBEIRO et al, 2014;BURSZTYN & EIRÓ, 2015;DEMSKI et al, 2016;BEJA et al, 2018;RUIZ, FARIA & NEUMANN, 2020;RUZ et al, 2020). Demski et al (2016) inclusive percebeu que o nível de engajamento pode ser maior entre aqueles que já presenciaram eventos climáticos extremos.…”
Section: Resultsunclassified
“…Ao conhecer e entender seus valores e comportamentos pode-se criar formas de comunicação e medidas mais adaptadas a cada nação e grupo de pessoas, aumentando o engajamento dos mesmos (COELHO, 2004;PIDGEON, 2012;LEE et al, 2015;ERNOUL, 2020;RUIZ et al, 2020;RUZ et al, 2020). A importância de estudos neste quesito deve-se, principalmente, pois os indivíduos e a sociedade na qual estão inseridos têm papel essencial no momento da implementação de políticas públicas, podendo servir como agentes facilitadores ou podendo dificultar a ação (CLAYTON et al, 2015;ANTRONICO et al, 2020 O número de pesquisas realizadas com o público universitário ainda é incipiente, as principais pesquisas sendo de Bursztyn & Eiró (2015) na Universidade de Brasília e a realizada por Barbosa et al (2018) especificamente com alunos de educação física. O foco de grande parte das pesquisas sobre percepção tem sido instituições de ensino fundamental e médio (STÜRMER et al, 2010;PINHEIRO et al, 2018), comunidades locais (BRAGA et al, 2011RUZ et al, 2020), populações em países específicos (SHI et al, 2015) ou considerando, simultaneamente, populações de diversos países (SHI et al, 2016;LENZHOLZER et al, 2020).…”
Section: Introductionunclassified
“…En Brasil se evalúa la percepción sobre el CC de ciudadanos que asisten al evento "Desapegue" ocurrido en la plaza Edmundo Rego en la ciudad de Río de Janeiro, en donde se confirmó la hipótesis de que ese público tendría información básica conceptual adecuada sobre educación ambiental y CC (Pedrini et al, 2016). En otra investigación para todo el país se mide la percepción de riesgo del CC y se encontró que existe una creencia generalizada de que hay riesgo para la población (Bursztyn y Eiró, 2015).…”
Section: Percepciones De Ciudadanosunclassified
“…Risk perception is also affected by the amount and the quality of available information, specially when situation is sensible, with direct consequences to individuals under risks (Slovic, Flynn, and Layman 1991;Slovic 2000;Joffe 2003;Bickerstaff et al 2004;Bursztyn and Eiró 2015). Also Beck (2013) argues that experiences and risk perceptions are not the same for everyone.…”
Section: Perception Of Manufactured Risks and How To Deal With Complex Problemsmentioning
confidence: 99%