2000
DOI: 10.1590/s1516-44462000000400007
|View full text |Cite
|
Sign up to set email alerts
|

Juliano Moreira: um psiquiatra negro frente ao racismo científico

Abstract: Memória Juliano Moreira: um psiquiatra negro frente ao racismo científico Juliano Moreira (1873-1933), baiano de Salvador, é freqüentemente designado como fundador da disciplina psiquiátrica no Brasil. Sua biografia justifica tal eleição: mestiço (mulato), de família pobre, extremamente precoce, ingressou na Faculdade de Medicina da Bahia aos 13 anos, graduando-se aos 18 anos (1891), com a tese "Sífilis maligna precoce". Cinco anos depois, era professor substituto da seção de doenças nervosas e mentais da mesm… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
2
1

Citation Types

0
7
0
6

Year Published

2001
2001
2022
2022

Publication Types

Select...
7
2

Relationship

0
9

Authors

Journals

citations
Cited by 18 publications
(13 citation statements)
references
References 0 publications
0
7
0
6
Order By: Relevance
“…Ao longo de sua carreira, Juliano Moreira manteve importantes colaborações com colegas internacionais, especialmente alemães (Facchinetti, Cupello, Evangelista, 2010;Facchinetti, Muñoz, 2013;Muñoz, 2015;Oda, Dalgalarrondo, 2000). Em um esforço de internacionalizar a psiquiatria brasileira, Moreira instalou laboratórios de patologia e de bioquímica no asilo psiquiátrico, reestruturou o corpo clínico e implementou esforços para coletar dados clínicos e diagnósticos dos pacientes internados (Muñoz, 2015;Oda, Dalgalarrondo, 2000). Além disso, a criação da primeira revista nacional ligada à "medicina mental" se deu também em 1905 e sob o comando de Moreira.…”
Section: A Neuropsiquiatria Em Augusto Dos Anjosunclassified
See 1 more Smart Citation
“…Ao longo de sua carreira, Juliano Moreira manteve importantes colaborações com colegas internacionais, especialmente alemães (Facchinetti, Cupello, Evangelista, 2010;Facchinetti, Muñoz, 2013;Muñoz, 2015;Oda, Dalgalarrondo, 2000). Em um esforço de internacionalizar a psiquiatria brasileira, Moreira instalou laboratórios de patologia e de bioquímica no asilo psiquiátrico, reestruturou o corpo clínico e implementou esforços para coletar dados clínicos e diagnósticos dos pacientes internados (Muñoz, 2015;Oda, Dalgalarrondo, 2000). Além disso, a criação da primeira revista nacional ligada à "medicina mental" se deu também em 1905 e sob o comando de Moreira.…”
Section: A Neuropsiquiatria Em Augusto Dos Anjosunclassified
“…2005). Ao assumir, em 1905, a direção do Hospício Nacional dos Alienados, então a principal instituição psiquiátrica do país, Juliano Moreira contribui decisivamente para a mudança paradigmática no referencial teórico da psiquiatria brasileira, afastando-se da tradição francesa (Muñoz, 2015;Oda, Dalgalarrondo, 2000) e aproximando-se da neuropsiquiatria krapeliniana: "Foi sem dúvida Juliano Moreira quem inscreveu de maneira sistemática o paradigma psiquiátrico de Kraepelin na totalidade do campo da psiquiatria no Brasil, marcando efetivamente a ruptura nesse campo, de forma indelével, com o que historicamente o antecedeu" (Birman, 2010, p.346). O cientificismo e o positivismo médicos passaram a marcar de forma hegemônica a leitura das perturbações mentais no Brasil.…”
Section: A Neuropsiquiatria Em Augusto Dos Anjosunclassified
“…No Rio de Janeiro, as práticas asilares de saúde mental foram desenvolvidas por Juliano Moreira (ODA; DALGALARRONDO, 2000). Já em São Paulo, Francisco Franco da Rocha desenvolveu a atenção manicomial no Hospital do Juquery (SEGAWA, 2002).…”
Section: A História Brasileira E O Hospital Psiquiátricounclassified
“…For example, Albert Einstein visited Brazil in 1925 ( Figure 1) and, after a speech at the Brazilian Academy of Sciences, broke protocol and accepted Moreira's invitation to the National Hospice, where he was delighted with the ongoing therapeutic workshops for psychiatric patients. 1,5 Juliano Moreira was the first Brazilian psychiatrist to receive international recognition. He was fluent in French, German, Spanish, Portuguese, and English (the latter spoken with the facility of a polished upper-class Englishman) and participated in many medical congresses, representing Brazil abroad on several occasions.…”
mentioning
confidence: 99%