2006
DOI: 10.1590/s0102-46982006000200003
| View full text |Cite
|
Sign up to set email alerts
|

Abstract: Partindo-se de um entendimento de literacia como prática socialmente situada que implica quer a manipulação da palavra escrita, quer comportamentos, valores, crenças, e saberes sobre o que pode ser dito e feito, como e com que "acessórios", num domínio de prática particular, discutem-se, neste texto, algumas estratégias que, no âmbito da leitura realizada na escola, têm por função assegurar uma dada configuração da literacia e do sujeito que aí é reconhecido como letrado. Para além das estratégias discursivas … Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
1

Citation Types

0
0
0
1

Year Published

2016
2016
2016
2016

Publication Types

Select...
1

Relationship

0
1

Authors

Journals

citations
Cited by 1 publication
(1 citation statement)
references
References 3 publications
(2 reference statements)
0
0
0
1
Order By: Relevance
“…Considerando os Manuais escolares como apoio pedagógico para professores, a pesquisa buscou, inicialmente, analisar manuais do Brasil e de países africanos de língua portuguesa (Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe), buscando compreender os manuais por concepções do(s) Letramento(s), da Cultura, do Currículo, da Formação de Leitores, das Comunidades de Leitores (SOARES, 1998;DIONÍSIO, 2006;ROJO, 2009;FORQUIN, 1993;CASTRO;RODRIGUES;SOUSA, 1999;DIONÍSIO, 2000;BUNZEN, 2005). Essas análises apontaram para investigar outras facetas, que estabeleceram outros eixos de pesquisa, conforme se lê a seguir.…”
Section: Introductionunclassified
“…Considerando os Manuais escolares como apoio pedagógico para professores, a pesquisa buscou, inicialmente, analisar manuais do Brasil e de países africanos de língua portuguesa (Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe), buscando compreender os manuais por concepções do(s) Letramento(s), da Cultura, do Currículo, da Formação de Leitores, das Comunidades de Leitores (SOARES, 1998;DIONÍSIO, 2006;ROJO, 2009;FORQUIN, 1993;CASTRO;RODRIGUES;SOUSA, 1999;DIONÍSIO, 2000;BUNZEN, 2005). Essas análises apontaram para investigar outras facetas, que estabeleceram outros eixos de pesquisa, conforme se lê a seguir.…”
Section: Introductionunclassified