2007
DOI: 10.1590/s0102-09352007000300021
| View full text |Cite
|
Sign up to set email alerts
|

Abstract: RESUMOAvaliou-se a sutura fabelar lateral (SFL) com fáscia lata autógena para estabilização dos joelhos de cães de raças de grande porte, acometidos por ruptura do ligamento cruzado cranial (RLCCr

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
1

Citation Types

0
0
0
3

Year Published

2012
2012
2018
2018

Publication Types

Select...
3

Relationship

1
2

Authors

Journals

citations
Cited by 3 publications
(3 citation statements)
references
References 5 publications
0
0
0
3
Order By: Relevance
“…O método usado para delimitar atrofia foi adaptado, associando-se quatro metodologias descritas: usando o mesmo animal, em tempos diferentes, através de perimetrias em três locais equidistantes da coxa (JOHNSON et al, 1997); perimetria somente na prega inguinal (BUQUERA et al, 2007;SELMI et al, 2007); perimetria na prega inguinal, em um estudo em longo prazo da articulação coxofemoral, comparando os membros pélvicos do mesmo animal (MARCELLIN-LITTLE et al, 1999). Assim, optou-se por realizar paralelamente a avaliação do grupo controle, já que os animais tratados não possuíam uma avaliação anterior aos procedimentos cirúrgicos para comparação, e para também evitar que a diferença entre a perimetria dos dois membros dos animais do grupo tratado não representasse um possível viés, ou seja, verificar possíveis diferenças de perimetria, mesmo sem o paciente ter sido submetido a algum tratamento.…”
Section: Resultsunclassified
“…O método usado para delimitar atrofia foi adaptado, associando-se quatro metodologias descritas: usando o mesmo animal, em tempos diferentes, através de perimetrias em três locais equidistantes da coxa (JOHNSON et al, 1997); perimetria somente na prega inguinal (BUQUERA et al, 2007;SELMI et al, 2007); perimetria na prega inguinal, em um estudo em longo prazo da articulação coxofemoral, comparando os membros pélvicos do mesmo animal (MARCELLIN-LITTLE et al, 1999). Assim, optou-se por realizar paralelamente a avaliação do grupo controle, já que os animais tratados não possuíam uma avaliação anterior aos procedimentos cirúrgicos para comparação, e para também evitar que a diferença entre a perimetria dos dois membros dos animais do grupo tratado não representasse um possível viés, ou seja, verificar possíveis diferenças de perimetria, mesmo sem o paciente ter sido submetido a algum tratamento.…”
Section: Resultsunclassified
“…Pode afetar cães de diferentes idades e tamanhos, porém, é mais comum nas raças de grande porte (CASALE & MCCARTHY, 2009). O reparo do ligamento cruzado cranial tem como objetivo promover estabilidade na articulação do joelho (BUQUERA et al, 2007). As técnicas cirúrgicas para correção da RLCCr em cães incluem estabilização com técnicas de osteotomia (KIM et al, 2008), procedimentos intraarticulares (WARZEE et al, 2001) e extra-articulares (GAMBARDELLA et al, 1981), porém, ainda não foi estabelecida qual técnica é superior (WARZEE et al, 2001).…”
unclassified
“…Os procedimentos extra-capsulares têm como vantagens o menor tempo cirúrgico, mínima invasão articular e melhor resposta clínica e, dentre estas, a técnica menos exigente é a sutura fabelo-tibial (SFT) (SMITH, 2000). Segundo CASALE & MCCARTHY (2009), a SFT está associada a menos complicações trans e pós-operatórias, mas pode apresentar desvantagens como compressão excessiva das superfícies articulares e soltura, afrouxamento ou rompimento do fio (SMITH, 2000), sendo possível observar deslocamento distal do sesamoide poplíteo (BUQUERA et al, 2007). Foi relatada como complicação da SFT a reação ao material de sutura em 18 a 21% entre 66 pacientes avaliados (DULISCH, 1981).…”
unclassified