2015
DOI: 10.1590/1809-9823.2015.14040
|View full text |Cite
|
Sign up to set email alerts
|

Envelhecer em contexto prisional

Abstract: ResumoO significativo aumento do número de pessoas idosas a nível mundial e em Portugal coloca aos nossos destinos coletivos novas preocupações e desafios. No âmbito desta investigação, definiu-se como objetivo a compreensão dos diferentes processos de envelhecimento dos reclusos considerados idosos, sendo analisados o quotidiano da população reclusa mais velha, o impacto dessa reclusão no seu processo de envelhecimento (nomeadamente na construção de estratégias de adaptação e reintegração) e suas perspectivas… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
2

Citation Types

0
0
0
2

Year Published

2020
2020
2024
2024

Publication Types

Select...
2
1

Relationship

0
3

Authors

Journals

citations
Cited by 3 publications
(2 citation statements)
references
References 2 publications
(2 reference statements)
0
0
0
2
Order By: Relevance
“…Ao mesmo tempo, uma das consequências de um longo período de privação de liberdade é a fragilização das redes familiares. O passar dos anos reduz a frequência de visitas, o contato com o mundo exterior e o apoio familiar, fundamentais não só emocionalmente, mas também materialmente (insumos levados para dentro da prisão) (Santos & Nogueira, 2015). Nesse sentido, o DSC "Ajudei muita gente e hoje eu não recebo uma carta."…”
Section: Discussionunclassified
“…Ao mesmo tempo, uma das consequências de um longo período de privação de liberdade é a fragilização das redes familiares. O passar dos anos reduz a frequência de visitas, o contato com o mundo exterior e o apoio familiar, fundamentais não só emocionalmente, mas também materialmente (insumos levados para dentro da prisão) (Santos & Nogueira, 2015). Nesse sentido, o DSC "Ajudei muita gente e hoje eu não recebo uma carta."…”
Section: Discussionunclassified
“…Ao mesmo tempo, uma das consequências de um longo período de privação de liberdade é a fragilização das redes familiares. O passar dos anos reduz a frequência de visitas, o contato com o mundo exterior e o apoio familiar, fundamentais não só emocionalmente, mas também materialmente (insumos levados para dentro da prisão) (Santos & Nogueira, 2015). Nesse sentido, o DSC "Ajudei muita gente e hoje eu não recebo uma carta."…”
Section: Discussionunclassified