2021
DOI: 10.1590/1413-81232021265.04752021
|View full text |Cite
|
Sign up to set email alerts
|

Cadê as populações LGBTT na Estratégia Saúde da Família? narrativas de profissionais de saúde em Teresina, Piauí, Brasil

Abstract: Resumo As populações de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais (LGBTT) não têm tido um lugar na "história oficial" da humanidade, a não ser como atores secundários que desviam, distorcem ou mesmo maculam a memória dos povos, orientada pela cis-heteronormatividade. São esses mesmos sujeitos que frequentemente vivenciam obstáculos na assistência ofertada pela Estratégia Saúde da Família (ESF), dentro de um sistema que é universal, integral e equânime. Neste artigo, buscamos analisar experiências nar… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
2
2

Citation Types

0
0
0
4

Year Published

2022
2022
2024
2024

Publication Types

Select...
5

Relationship

0
5

Authors

Journals

citations
Cited by 5 publications
(4 citation statements)
references
References 10 publications
0
0
0
4
Order By: Relevance
“…Diante disso, a Atenção Primária à Saúde se mostra como um instrumento para viabilizar práticas inclusivas, por ser composta de uma complexa interação entre as questões técnicas, políticas, ideológicas e econômicas, lidando eticamente com a diversidade de cada indivíduo. Logo, o vínculo usuário-profissional é fortalecido quando existe respeito e confiança e fica enfraquecido diante da realidade atual (29) .…”
Section: Discussionunclassified
“…Diante disso, a Atenção Primária à Saúde se mostra como um instrumento para viabilizar práticas inclusivas, por ser composta de uma complexa interação entre as questões técnicas, políticas, ideológicas e econômicas, lidando eticamente com a diversidade de cada indivíduo. Logo, o vínculo usuário-profissional é fortalecido quando existe respeito e confiança e fica enfraquecido diante da realidade atual (29) .…”
Section: Discussionunclassified
“…E, por último, facilitar a declaração de orientação sexual e gênero nos sistemas de informação 30 para a vigilância epidemiológica coletiva. Com a clínica ainda centrada fortemente na abordagem biomédica em muitas localidades 18 , a promoção da equidade deste grupo, neste contexto de vulnerabilidade, fica limitada.…”
Section: Discussionunclassified
“…A APS, considerada a principal porta de acesso ao Sistema Único de Saúde (SUS), é o local onde são desenvolvidas práticas centradas na pessoa e que tem o potencial de diminuir hospitalizações desnecessárias através das medidas de promoção e prevenção 16 . Entretanto, mesmo com a instituição da Política Nacional LGBT+ desde 2011 17 , a APS ainda tem ofertado negações, violências e negligência no cuidado da população LGBT+ 18 . Portanto, este estudo teve como objetivo identificar a frequência e fatores associados à COVID-19 na população de minorias sexuais e de gênero brasileira.…”
Section: Introductionunclassified
“…A livre orientação sexual é um dos direitos humanos fundamentais, mas minorias sexuais e de gênero permanecem sendo afetadas por menor proteção social e menos aporte de benefícios legais, especialmente no contexto latino--americano (1) . Apesar dos avanços relacionados ao respeito a esse direito, ainda ocorrem discriminações baseadas nas formas homoafetivas de exercer a sexualidade, as quais podem afetar outros direitos, como ocorre comumente no acesso à saúde (2)(3)(4)(5) .…”
Section: Introductionunclassified