2013
DOI: 10.1590/s0103-33522013000200004
| View full text |Cite
|
Sign up to set email alerts
|

Abstract: Decolonial turn and Latin AmericaHasta que los leones tengan sus propios historiadores, las historias de cacería seguirán glorificando al cazador.Provérbio africano O objetivo principal deste artigo é o de apresentar a constituição, a trajetória e o pensamento do Grupo Modernidade/Colonialidade (M/C), constituído no final dos anos 1990. Formado por intelectuais latino-americanos situados em diversas universidades das Américas, o coletivo realizou um movimento epistemológico fundamental para a renovação crítica… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
2
1
1

Citation Types

1
31
0
202

Year Published

2016
2016
2023
2023

Publication Types

Select...
5
4

Relationship

0
9

Authors

Journals

citations
Cited by 297 publications
(234 citation statements)
references
References 5 publications
1
31
0
202
Order By: Relevance
“…Just as European societies experienced a colonizing turn that led them to an understanding of civilization that authorized colonization in the globalized New World that they sought to create (see Césaire, 2000), a decolonial turn also took place globally, one that refused to consider colonialism as secondary in the analysis of modernity and that proposed decolonization as an unfinished project (see Ballestrin, 2013;Castro-Gómez and Grosfoguel, 2007;Maldonado-Torres, 2006, 2006, 2017.…”
mentioning
confidence: 99%
“…Just as European societies experienced a colonizing turn that led them to an understanding of civilization that authorized colonization in the globalized New World that they sought to create (see Césaire, 2000), a decolonial turn also took place globally, one that refused to consider colonialism as secondary in the analysis of modernity and that proposed decolonization as an unfinished project (see Ballestrin, 2013;Castro-Gómez and Grosfoguel, 2007;Maldonado-Torres, 2006, 2006, 2017.…”
mentioning
confidence: 99%
“…7 O meio material da Ditadura é entendido aqui como os lugares utilizados pelo aparato repressivo -estruturas arquitetônicas -, neste caso o DOPS/RS, bem como qualquer material ou elemento não-humano utilizado nesse contexto. SEGATO, 2012;COSTA, 2014COSTA, , 2015MAYORGA et all., 2013;CABRERA & MONROY, 2014, entre outras), enquanto "opção descolonial", de modo que o feminismo descolonial possa ser utilizado enquanto ferramenta epistêmica, teórica e política para compreender a historicidade das relações no passado ditatorial, possibilitando a compreensão de nossa atuação no mundo contemporâneo e, identificando as marcas e efeitos da colonialidade 8 global nos diferentes níveis da vida pessoal e coletiva (BALLESTRIN, 2013). Paralelamente, questionar e desaprender os pressupostos teóricos ideológicos que são altamente difundidos nos meios acadêmicos enquanto produção moderna/colonial que determina os sujeitos detentores do conhecimento, que é apontado pela crítica feminista da ciência (RIBEIRO, 2017, HARAWAY, 1995 como neutro, masculino e soberano.…”
Section: Feminismos E Ditaduraunclassified
“…Outra característica é o entendimento de que a continuidade das relações coloniais de poder se dá por meio das conexões de gênero, de raça e de classe (COSTA, 2014), além de conceber o rompimento teórico epistemológico eurocentrado, enfatizando os diferentes saberes em diferentes contextos geopolíticos (COSTA, 2014), e possibilitando questionamentos aos cânones e métodos do pensamento hegemônico estabelecido, descolonizando-o. Esta é uma proposta que se define como um pensamento crítico acerca das "condições de reprodução do eurocentrismo e da colonialidade do sistema mundo" (RESTREPO & ROJAS, 2010 apud COSTA, 2014:930) e seus efeitos por meio da colonialidade do poder, tais como a inferiorização de pessoas, o domínio sobre recursos naturais, a hierarquização de gênero, domínio de seres e lugares, controle da subjetividade e do conhecimento com o objetivo da exploração para acúmulo de capital (BALLESTRIN, 2013).…”
Section: Feminismos E Ditaduraunclassified
“…Portanto, buscamos uma permanente correlação entre o lugar, as culturas e as produções narrativas dos sujeitos/comunidades/escolas. A noção de colonialidade, criada nesse movimento, está associada aos mecanismos de controle que prevalescem com a modernidade, o decolonial não pode ser confundido com descolonização, pois descolonização significa a superação do colonialismo, em termos históricos e temporais; a ideia de decolonialidade procura transcender a colonialidade, segundo Ballestrin (2013). Para Grosfoguel (2012), essas diferentes correntes de pensamento podem ser denominadas, respeitando suas diferenças, de "descoloniais".…”
Section: Apresentaçãounclassified