2011
DOI: 10.1590/s0104-83332011000100014
|View full text |Cite
|
Sign up to set email alerts
|

A difícil arte de expor mulheres artistas

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
3
1

Citation Types

0
0
0
5

Year Published

2018
2018
2023
2023

Publication Types

Select...
6

Relationship

0
6

Authors

Journals

citations
Cited by 6 publications
(5 citation statements)
references
References 2 publications
(2 reference statements)
0
0
0
5
Order By: Relevance
“…36 Artista alemã-estadunidense e judia (1931), interessada nos jogos de poder e hierarquia social, a partir de uma perspectiva mística da religião judaica. (Simioni;Acayaba;Figueiredo, 2022). Ressalto que em 2021, quando ofereci um curso online sobre a presença feminina no acervo da Pinacoteca do Estado de São Paulo, a instituição não havia realizado ainda um levantamento interno de seu contingente representativo via o recorte de gênero.…”
Section: Modosunclassified
“…36 Artista alemã-estadunidense e judia (1931), interessada nos jogos de poder e hierarquia social, a partir de uma perspectiva mística da religião judaica. (Simioni;Acayaba;Figueiredo, 2022). Ressalto que em 2021, quando ofereci um curso online sobre a presença feminina no acervo da Pinacoteca do Estado de São Paulo, a instituição não havia realizado ainda um levantamento interno de seu contingente representativo via o recorte de gênero.…”
Section: Modosunclassified
“…Por estar relacionada com o desenvolvimento de artefatos (como decorações e louças) também está associada às chamadas artes decorativas aplicadas e portanto "destinadas" às mulheres. (SIMIONI, 2011).…”
Section: Introductionunclassified
“…Ainda com essa flexibilização de exposição de artefatos em museus e diferentes espaços expositivos, sabe-se da historicidade de invisibilização da produção de mulheres no campo artístico, seja ela tendo a cerâmica como suporte ou qualquer outro.Para Ana PaulaSimioni (2011) as indagações da historiadora e professora Linda Nochlin, nos anos 70, sobre a aparente inexistência das mulheres artistas na história reverberam na atualidade, com estudos sobre as relações entre arte e gênero realizados no ambiente acadêmico. De acordo com Ana PaulaSimioni (2011), o critério curatorial centrado no gênero, visto nos últimos 10 anos em diferentes museus, se ancora nestes estudos acadêmicos. É na luta contra o sexismo no campo da arte que surge o coletivo de artistas, ativistas e feministas chamado Guerrilla Girls.…”
unclassified
“…Paralela e complementarmente, há a necessidade política de pensar a mulher como coletivo na medida em que se busca alcançar a igualdade de gêneros a partir de um processo de reexame das desigualdades sociais e distorções históricas presentes entre homens e mulheres. Simioni (2011) produz análise da publicação do catálogo da exposição Elles, na qual descreve a inquietação, da própria curadoria, com as bases teóricas que respaldam a seleção curatorial que, ao promover a visibilidade das obras produzidas por mulheres artistas, as categoriza pelo "pertencimento ao mesmo sexo". Assim, a pesquisadora estabelece perguntas norteadoras à analise curatorial de obras produzidas por artistas mulheres: "Com isso não se incorre no perigo de suscitar a falaciosa crença na existência de uma sensibilidade, uma plástica, um espírito comum a todas?…”
Section: Introductionunclassified
“…(SI-MIONI, 2011, s.n.). Neste sentido Simioni (2011), ao referir-se ao nascimento de uma "arte feminina", pontua que, mesmo abrindo espaço para exposição de trabalhos produzidos por mulheres artistas, naquele momento histórico, os salões estabeleciam um enviesamento nas relações com as obras, estimulando um olhar específico a traços tidos como relativos ao gênero da artista que produziu a obra.…”
Section: Introductionunclassified