2010
DOI: 10.1590/s0104-83332010000200005
View full text
|
|
Share

Abstract: A partir de uma perspectiva qualitativa, este artigo analisa a forma como as pessoas "negras" na África do Sul esforçam-se por superar e ressignificar as marcas de uma história de repressão e de marginalização "raciais". Seguiremos a trajetória de Mpho, uma mulher "negra" com o objetivo de refletir como "raça" e gênero articulados envolvem situações de negociação, coerção, ressentimento e recusa. Estudaremos como certos indivíduos reorganizaram suas redes de sociabilidade no pós-apartheid, com foco no "campo d…

Expand abstract