2003
DOI: 10.1590/s0104-83332003000100006
View full text
|
|
Share

Abstract: ResumoO texto parte da recente valorização da origem brasileira de Julia Mann, a matriarca da célebre família de escritores alemães, para discutir o tema da nacionalidade associado às categorias de gênero e raça. Discutimos a historicidade de categorias sociais e como estas determinam a autocompreensão dos indivíduos. A sociedade alemã do século XIX caracterizou Julia como brasileira e, apesar do estigma que isto representava, ela utilizou-se desta origem "exótica" como forma de autocompreensão e resistência. …

Expand abstract