volume 22, issue 2, P274-288 2020
DOI: 10.1590/1517-106x/2020222274288
View full text
|
Sign up to set email alerts
|
Share

Abstract: Resumo O presente artigo pretende compreender a poesia de Paul Celan como uma “poesia da negatividade”, priorizando o seu aspecto negativo que não permite a o apaziguamento ou a síntese da violência em sua obra. Assim, espera-se evidenciar a constelação mortuária presente na poesia celaniana como um instante revelador da tensão inerente ao poético que se põe em contato com o corpo em ruína.