2010
DOI: 10.1590/s0104-12902010000600011
|View full text |Cite
|
Sign up to set email alerts
|

Uso dos serviços públicos de saúde para DST/HIV/aids por comunidades remanescentes de Quilombos no Brasil

Abstract: Introdução: A epidemia de aids atinge com maior intensidade os grupos mais vulneráveis. As tendên-cias de interiorização, pauperização e feminização demonstram que a população negra se encontra em desvantagem social no que se refere à construção de respostas de enfrentamento. Objetivo: Descrever as condições de acesso da população negra ao diagnóstico e à assistência para DST, HIV/aids. Métodos: Estudo transversal com 218 sujeitos maiores de 18 anos com vida sexual ativa em 11 comunidades quilombolas. Resultad… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
2
1
1

Citation Types

0
11
0
12

Year Published

2013
2013
2020
2020

Publication Types

Select...
7
2

Relationship

0
9

Authors

Journals

citations
Cited by 19 publications
(23 citation statements)
references
References 2 publications
(3 reference statements)
0
11
0
12
Order By: Relevance
“…A literatura sobre o uso de serviços de saúde pela população quilombola no Brasil é escassa e suas condições de saúde são pouco exploradas. Não obstante, os trabalhos disponíveis demonstram que esse grupo ainda vive em situação de vulnerabilidade, fruto do processo histórico de escravização, que acarretou desigualdades sociais e de saúde, menor acesso a bens e serviços 30,31,32,33 , o que pode ocasionar também maior dificuldade de utilização de serviços de saúde. Vale ressaltar que não existem informações epidemiológicas específicas dos quilombolas nos sistemas de informações de saúde 30 , demonstrando a importância da realização de estudos epidemiológicos com este grupo populacional.…”
Section: Introductionunclassified
“…A literatura sobre o uso de serviços de saúde pela população quilombola no Brasil é escassa e suas condições de saúde são pouco exploradas. Não obstante, os trabalhos disponíveis demonstram que esse grupo ainda vive em situação de vulnerabilidade, fruto do processo histórico de escravização, que acarretou desigualdades sociais e de saúde, menor acesso a bens e serviços 30,31,32,33 , o que pode ocasionar também maior dificuldade de utilização de serviços de saúde. Vale ressaltar que não existem informações epidemiológicas específicas dos quilombolas nos sistemas de informações de saúde 30 , demonstrando a importância da realização de estudos epidemiológicos com este grupo populacional.…”
Section: Introductionunclassified
“…The marital situation and the lack of information about exams and contraceptive methods are listed as explanations for such events. 7,29 In addition to these unfavorable characteristics of health, the conditions of access corroborate to the increase of the iniquities. The difficulty of access to health services by reside in rural localities, devoid of collective transport, hinders the quality and accessibility of services, until the search by medicine.…”
Section: Levelmentioning
confidence: 97%
“…A questão da locomoção do usuário até o serviço de saúde também foi destacada em outros estudos [36][37][38] . No contexto dos quilombos, um desses estudos apontou como fatores de dificuldade de acesso aos serviços de saúde a disponibilidade de veículos, acesso de ambulâncias aos quilombos e dificuldade/impossibilidade de transportar os pacientes 36 , corroborando os achados desta pesquisa.…”
Section: Conclusãounclassified