2020
DOI: 10.20435/inter.v21i1.1944
|View full text |Cite
|
Sign up to set email alerts
|

Representações sociais da hanseníase: um estudo psicossocial com moradores de um antigo hospital-colônia

Abstract: Esta pesquisa teve como objetivo identificar e analisar as representações sociais da hanseníase entre os moradores de um hospital colônia. Diante dos resultados, percebeu-se que as representações sociais da doença apresentaram ideias antagônicas, pois, ainda que ancoradas, sobretudo em conteúdos relacionados à lepra, elas também evidenciaram elementos embasados no conhecimento científico e que representam a hanseníase como qualquer outra enfermidade curável.

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
2
1

Citation Types

0
1
0
2

Year Published

2021
2021
2024
2024

Publication Types

Select...
5
1

Relationship

0
6

Authors

Journals

citations
Cited by 6 publications
(3 citation statements)
references
References 4 publications
0
1
0
2
Order By: Relevance
“…When approaching people living in a colony hospital, we found a set of social representations associated, above all, with dimensions historically linked to leprosy, which refers to prejudice, fear of contagion, mutilation and chronic wounds. Thus, it appears that despite modernization, the "Hansen's disease" object of representation does not necessarily separate from the notion of leprosy, which carries an extremely negative burden 17 .…”
Section: Discussionmentioning
confidence: 99%
“…When approaching people living in a colony hospital, we found a set of social representations associated, above all, with dimensions historically linked to leprosy, which refers to prejudice, fear of contagion, mutilation and chronic wounds. Thus, it appears that despite modernization, the "Hansen's disease" object of representation does not necessarily separate from the notion of leprosy, which carries an extremely negative burden 17 .…”
Section: Discussionmentioning
confidence: 99%
“…A transmissão ocorre por meio da inalação de gotículas eliminadas pelas vias aéreas superiores e inferiores de indivíduos que estejam em contato prolongado e íntimo com outros indivíduos infectados e sem tratamento e que estejam predispostos geneticamente ou susceptíveis (Anchieta et al, 2019). O Mycobacterium leprae tem um alto potencial de infectividade, ou seja, tem a capacidade de infectar um grande número de indivíduos, porém, apresenta uma baixa patogenicidade, ou seja, a possibilidade de o indivíduo não desenvolver a doença (Passos et al, 2018).…”
Section: Introductionunclassified
“…Concluímos que a realização das atividades de educação em saúde despertou a curiosidade dos pais e estudantes sobre os temas abordados, estimulando o interesse na busca de ampliar e adquirir conhecimento sobre os conteúdos. Transmitida pela inalação do Mycobaterium leprae, possui longo período de incubação e agride preferencialmente células da pele e os nervos periféricos (células de Schwann) (PASSOS et al 2020). Essa doença apresenta elevados níveis de infectividade, mas índice baixo de patogenicidade, encontrando nos seres humanos seu reservatório e a capacidade de ocasionar lesões incapacitantes/deformantes (MONTEIRO et al, 2017;SANTOS et al, 2017).…”
Section: Introductionunclassified