2007
DOI: 10.1590/s0101-33002007000300009 View full text |Buy / Rent full text
|
|

Abstract: RESUMOHá uma analogia entre o antiindividualismo uniforme e estandartizado da arquitetura moderna e o caráter anônimo e coletivo da arte popular. Tal percepção, formulada por Mário de Andrade em 1928, serve de base para a equação "modernidade-patrimônio" montada por Lucio Costa a partir do final dos anos 1930. Porém, o reconhecimento posterior da "legitimidade da intenção plástica", por parte de Lucio Costa, afastará progressivamente as leituras de ambos acerca do papel da arte na sociedade, e, a reboque, o se… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance
Select...
0
0
0
7

Publication Types

Select...

Relationship

0
0

Authors

Journals