2001
DOI: 10.1590/s0102-79722001000100019
|View full text |Cite
|
Sign up to set email alerts
|

Percepção do corpo, medo da morte, religião e doação de órgãos

Abstract: Principalmente a partir de 1997 houve, aqui no Brasil, uma intensificação do debate a respeito da doação de órgãos, o que envolveu pessoas e instituições das mais variadas áreas com o objetivo de promover uma reflexão, na saúde pública, na mídia, na legislação brasileira e nos diversos grupos sociais, sobre algumas de suas implicações, tais como a sua necessidade social, os critérios relativos aos procedimentos de transplantação de órgãos, a nova lei aprovada sobre o assunto, as filas de espera , as dificuldad… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
2

Citation Types

0
5
0
16

Year Published

2012
2012
2024
2024

Publication Types

Select...
6
1

Relationship

0
7

Authors

Journals

citations
Cited by 15 publications
(21 citation statements)
references
References 11 publications
(11 reference statements)
0
5
0
16
Order By: Relevance
“…Por outro lado, os demais participantes mencionaram, entre os principais motivos que os levam a fazer a doação, o entendimento de o corpo é apenas uma matéria, a possibilidade de ajudar outras pessoas, de proporcionar a continuidade e a qualidade de vida do receptor, de reaproveitar os próprios órgãos, a necessidade social de doação e motivos religiosos. 16 Em relação à não doação, cabe destacar que, quando a família toma essa decisão, não quer dizer que esta tenha sido fá-cil, mas sim que a família encontra-se tão saturada de emoções ocasionadas por essa experiência que prefere se manter em um contexto no qual se sinta mais segura, sem novas notícias ou eventos desconhecidos. Então, como estratégia para evitar mais incertezas, ela opta pela não doação.…”
Section: Discussionunclassified
See 1 more Smart Citation
“…Por outro lado, os demais participantes mencionaram, entre os principais motivos que os levam a fazer a doação, o entendimento de o corpo é apenas uma matéria, a possibilidade de ajudar outras pessoas, de proporcionar a continuidade e a qualidade de vida do receptor, de reaproveitar os próprios órgãos, a necessidade social de doação e motivos religiosos. 16 Em relação à não doação, cabe destacar que, quando a família toma essa decisão, não quer dizer que esta tenha sido fá-cil, mas sim que a família encontra-se tão saturada de emoções ocasionadas por essa experiência que prefere se manter em um contexto no qual se sinta mais segura, sem novas notícias ou eventos desconhecidos. Então, como estratégia para evitar mais incertezas, ela opta pela não doação.…”
Section: Discussionunclassified
“…Realizar a doação assume diversos significados, entre eles: conforta a família, dá satisfação, é uma honra; e é muito importante, porque significa o bem para as outras pessoas. 10,16 A possibilidade de mudar a vida de pessoas que esperam por um transplante por meio da doação de órgãos é motivo que consola, recompensa e traz satisfação para a família, embora a dor da perda permaneça. Destaca-se também que entre os prática no Brasil poderá ser alternativa para que haja aumento da decisão familiar positiva para a doação, mesmo que o motivo mais frequentemente alegado pela família para não autorizar a doação seja o desconhecimento do desejo do potencial doador.…”
Section: Discussionunclassified
“…19 However, in some religions there are determinants opposed to organ donation, which would be philosophical factors and specific religious beliefs of these mystics. 24 In research on the accepted, not accepted or indecision about being an organ donor, there was a predominance of Catholics. 24 However while investigating the degree of involvement with religion, it was identified that people with high levels of religious involvement, do not differ from people who consider themselves less as religious positioning when challenged about being a donor or not.…”
mentioning
confidence: 99%
“…24 In research on the accepted, not accepted or indecision about being an organ donor, there was a predominance of Catholics. 24 However while investigating the degree of involvement with religion, it was identified that people with high levels of religious involvement, do not differ from people who consider themselves less as religious positioning when challenged about being a donor or not. 24 Another study about the knowledge and opinions of individuals about organ donation, also inferred that there is no significant differences between being in favor or not of organ donation with respect to religion.…”
mentioning
confidence: 99%
See 1 more Smart Citation