2009
DOI: 10.1590/s0102-37722009000200008
|View full text |Cite
|
Sign up to set email alerts
|

O processo saúde-doença e a dependência química: interfaces e evolução

Abstract: RESUMO -O uso de drogas atualmente é considerado um grave e complexo problema de saúde pública. Falar sobre drogadição é discutir o processo saúde/doença, considerando-se os modelos que contribuem para a compreensão do fenômeno no momento atual e das estratégias de intervenção estabelecidas. Discutir a dependência química hoje exige uma reflexão sobre como a droga foi encarada ao longo da história, tendo em vista as questões de saúde/doença e os paradigmas hegemônicos em cada momento. Este estudo visa: a) most… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
3
1
1

Citation Types

0
13
0
52

Year Published

2011
2011
2021
2021

Publication Types

Select...
5
2
1

Relationship

0
8

Authors

Journals

citations
Cited by 67 publications
(65 citation statements)
references
References 16 publications
(37 reference statements)
0
13
0
52
Order By: Relevance
“…(1) No Brasil, desde a Reforma Psiquiátrica e com a Lei 10.216 promulgada em 2001, nota-se um movimento político e social unidos com objetivo da discussão de um novo conceito de atendimento e assistência para estes pacientes, que eram internados ou trancafiados nestes hospitais antes chamados de manicômios. (22) O beber excessivo conduz claramente muitos pacientes à emergência com problemas de saúde física e mental.…”
Section: O Acolhimento E O Papel Dos Profissionaisunclassified
See 1 more Smart Citation
“…(1) No Brasil, desde a Reforma Psiquiátrica e com a Lei 10.216 promulgada em 2001, nota-se um movimento político e social unidos com objetivo da discussão de um novo conceito de atendimento e assistência para estes pacientes, que eram internados ou trancafiados nestes hospitais antes chamados de manicômios. (22) O beber excessivo conduz claramente muitos pacientes à emergência com problemas de saúde física e mental.…”
Section: O Acolhimento E O Papel Dos Profissionaisunclassified
“…A assistência era ofertada de acordo com sinais, sintomas e transtornos mentais, que por vezes eram vinculados a condutas associadas a desvio de caráter. (1) Dentre as substâncias, o álcool é considerado a droga mais consumida desde os relatos bíblicos, porém, o alcoolismo começou a ser tratado como doença na primeira metade do século XIX, com o intuito de promover tratamento a todos os indiví-duos que apresentavam complicações por fazerem uso contínuo e abusivo de álcool, e que não recebiam nenhum tipo de atenção a saúde por estarem diretamente ligados à vergonha de carregar o estigma do abuso da substância. (2) Em 1977, foi adotada pela Organização Mundial Da Saúde (OMS) a definição da dependência de álcool como uma "síndrome com contínuo de gravidade, tendo duas distinções claras: o uso e a dependência".…”
Section: Introductionunclassified
“…In addition, the practices in the Reducing Harm strategy base their practice and actions on a psychosocial and not just the biological understanding of the problem, considering the human being as a whole, endowed with subjectivity, knowledge and activities in the development process, seeking to break with the Cartesian biomedical model (Pratta and Santos, 2009). …”
Section: Believe That This Drug Devastates Lives the Person Is Finmentioning
confidence: 99%
“…O fenômeno do uso de substâncias psicoativas por adolescentes constitui problema de saúde pública contemporâneo que vem despertando intensa preocupação no cenário internacional (1) . O uso de drogas, lícitas ou ilícitas, constitui realidade palpável que penetrou os interstícios de praticamente todos os países (2) .…”
Section: Introductionunclassified
“…O uso de drogas, lícitas ou ilícitas, constitui realidade palpável que penetrou os interstícios de praticamente todos os países (2) . Todavia, ainda são escassas as investigações em algumas partes do mundo, como nos países da América Central, conforme mostram os estudos publicados neste periódico, nos últimos anos (1,(3)(4)(5) .…”
Section: Introductionunclassified