2022
DOI: 10.1590/1980-85852503880006511 View full text |Buy / Rent full text
|
|

Abstract: Resumo: Este artigo discute os paradoxos e limites do “modelo japonês” no combate ao coronavírus. Tal modelo endossou o mito de “homogeneidade racial e cultural”, ao mesmo tempo em que excluiu as necessidades dos migrantes residentes no país. Neste contexto, mostramos o mito como um ideal político dissonante com o recente cenário de migração na sociedade japonesa. Em seguida, a partir de um estudo etnográfico, analisaremos a situação dos migrantes brasileiros que residem no Japão no atual contexto da pandemia.

Help me understand this report

This publication either has no citations yet, or we are still processing them

Set email alert for when this publication receives citations?

See others like this or search for similar articles