2015
DOI: 10.17771/pucrio.tradrev.24853
| View full text |Cite
|
Sign up to set email alerts
|

Abstract: Os primeiros cruzamentos culturaisA história do Japão em tradução no Brasil pode ser contada de mais de uma forma.Neste texto, proponho inicialmente discutir algumas origens culturais, a partir de fatos e tendências verificáveis já desde o século XIX. Ao contrário da história da tradução de, digamos, textos franceses ou ingleses para o português do Brasil, considero que não é útil, no caso japonês, utilizar uma definição de tradução stricto sensu como critério de estabelecimento do corpus a ser discutido. Isso… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
1

Citation Types

0
0
0
2

Year Published

2016
2016
2016
2016

Publication Types

Select...
1
1

Relationship

1
1

Authors

Journals

citations
Cited by 2 publications
(2 citation statements)
references
References 1 publication
0
0
0
2
Order By: Relevance
“…Cf. Cunha (2013;2015; A tradução literária desloca a obra de seu contexto e, ao trazê-la para outra cultura, transforma um livro e seu autor 31 Mishima passou dois meses no Brasil em 1952. Conheceu o Rio de Janeiro, onde passou animadamente um carnaval e, sugere-se, teve sua primeira experiência homossexual, e São Paulo, onde se reuniu com jornalistas e representantes da comunidade japonesa.…”
Section: A Morte Brutal é Estrangeiraunclassified
“…Cf. Cunha (2013;2015; A tradução literária desloca a obra de seu contexto e, ao trazê-la para outra cultura, transforma um livro e seu autor 31 Mishima passou dois meses no Brasil em 1952. Conheceu o Rio de Janeiro, onde passou animadamente um carnaval e, sugere-se, teve sua primeira experiência homossexual, e São Paulo, onde se reuniu com jornalistas e representantes da comunidade japonesa.…”
Section: A Morte Brutal é Estrangeiraunclassified
“…"Depois que escrevi um romance como Confissões de uma Máscara, em que mal consegui conquistar o monstro por dentro, surgiram explicitamente duas inclinações ambivalentes em mim de vinte e quatro anos: a decisão de viver a todo custo, e a tendência ao classicismo nítido, lógico e imparcial". (SAEKI, 1981, p. 266, tradução nossa (CUNHA, 2015). Para Hijiya-Kirschnereit, após 40 anos da sua morte, as avaliações e considerações sobre esse autor são nitidamente divididas, não havendo sucesso em estabelecer uma ordem lógica à vida repleta de contradições e ao conjunto de obras não homogêneo, apesar das inúmeras tentativas de interpretação e discussões realizadas até o momento (HIJIYA-KIRSCHNEREIT, 2010).…”
unclassified