2017
DOI: 10.1590/1679-395152437
|View full text |Cite
|
Sign up to set email alerts
|

Economia criativa e territórios usados: um debate baseado nas contribuições de Milton Santos

Abstract: Resumo Este trabalho explora a literatura internacional e nacional sobre espaços criativos, destacando os aportes teóricos de Milton Santos sobre territórios e suas contribuições para o tema. Delimita-se um conceito de território criativo que incorpora uma perspectiva crítico-reflexiva de análise para os estudos nesse campo teórico e favorece uma abordagem de desenvolvimento que contemple aspectos das formações econômicas, sociais e simbólicas de um determinado espaço. Ressalta-se o potencial das discussões re… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
2
2
1

Citation Types

0
7
0
5

Year Published

2018
2018
2021
2021

Publication Types

Select...
6
1

Relationship

1
6

Authors

Journals

citations
Cited by 10 publications
(12 citation statements)
references
References 15 publications
0
7
0
5
Order By: Relevance
“…The concept of "creative city" has already been the target of several criticisms by countless experts around the world. Closs et al (2014) argue that the urbanism model in which the concept fits proved to be linked to economic imperatives and a neoliberal agenda, which relegates potentially negative redistributive effects in the background. In addition, the encouragement of pasteurized forms of creative activities can occur at the expense of investments in social welfare, education, health or support for forms of creativity other than those valued by local elites.…”
Section: The Revised Creative Citymentioning
confidence: 99%
See 1 more Smart Citation
“…The concept of "creative city" has already been the target of several criticisms by countless experts around the world. Closs et al (2014) argue that the urbanism model in which the concept fits proved to be linked to economic imperatives and a neoliberal agenda, which relegates potentially negative redistributive effects in the background. In addition, the encouragement of pasteurized forms of creative activities can occur at the expense of investments in social welfare, education, health or support for forms of creativity other than those valued by local elites.…”
Section: The Revised Creative Citymentioning
confidence: 99%
“…In addition, the encouragement of pasteurized forms of creative activities can occur at the expense of investments in social welfare, education, health or support for forms of creativity other than those valued by local elites. The "competitive cosmopolitanism" that makes creative cities develop their own brands redraws models of entrepreneurship and urban governance that attract volatile capital and generate an illusion that habitability is for everyone (Closs et al, 2014). The development of creative cities does not necessarily transform the context in which wealth disparities develop, and the risks of gentrification and social exclusion are still evident.…”
Section: The Revised Creative Citymentioning
confidence: 99%
“…O termo "cidade inteligente" combina atração de capital humano com uso das Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs) para melhoria da qualidade de vida da população (Closs & Oliveira 2017). O termo é associado ao emprego eficiente de TICs como ferramenta para melhorar a infraestrutura e os serviços, que, consequentemente, passam a ser atrativos aos cidadãos e às empresas.…”
Section: /211unclassified
“…Essas constatações permitem avaliar que, com base nos pressupostos de Caragliu et al (2011), a cidade de Chapecó tem diversos aspectos legais e alguns exemplos concretos que sinalizam um encaminhamento para se tornar uma cidade criativa e inteligente. Todavia, pode ser considerada uma infraestrutura em estágio embrionário, com potencial de consolidação durante a próxima década e sustentada por diretrizes políticas e lideranças engajadas e comprometidas com o desenvolvimento local, e em sintonia com os eixos do Programa Cidades Sustentáveis (Rede Nossa São Paulo, 2012) e as prerrogativas apresentadas por Closs & Oliveira (2017). Um modelo de governança participativa e colaborativa com transparência demanda a existência de uma cidade com maior equidade entre o rural e o urbano, com infraestrutura desenvolvida nos diferentes setores e regiões (centro e bairros), com mobilidade de pessoas e de agilidade no fluxo de cargas, produção, insumos e produtos acabados.…”
Section: /211unclassified
“…O termo "cidades inteligentes" refere-se a um mecanismo estratégico para o planejamento e gestão inteligente das cidades. Combina atração de capital humano e o uso das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC's) para melhoria da qualidade de vida da população (Closs & Oliveira 2017). O termo é associado ao emprego eficiente de (TICs) como uma ferramenta para melhorar a infraestrutura e serviços da cidade, que consequentemente passa a ser atrativa aos cidadãos e às empresas, atendendo as necessidades dos diferentes atores.…”
Section: Cidades Inteligentes E Criativasunclassified