DOI: 10.11606/d.7.2017.tde-19052017-103148
|View full text |Cite
|
Sign up to set email alerts
|

Barreiras organizacionais para disponibilização do dispositivo intrauterino nos serviços de Atenção Básica à Saúde (macrorregião Sul de Minas Gerais)

Abstract: Introduction: Although the intrauterine device (IUD) is little used in Brazil, it is the most used reversible contraceptive method in the world. It is about a safe method, highly effective and with positive results in the health of populations. By means of preventing unplanned pregnancies, it works to reduce maternal morbidity and mortality, infant mortality and unsafe abortions. Recent research, however, show that access to IUD in Primary Health Attention services is not always facilitated, being permeated by… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
1

Citation Types

0
0
0
2

Publication Types

Select...
1

Relationship

0
1

Authors

Journals

citations
Cited by 1 publication
(2 citation statements)
references
References 15 publications
(28 reference statements)
0
0
0
2
Order By: Relevance
“…(OMS, 2015;Brasil, 2016). Isso pode ser reflexo das barreiras impostas pelos serviços de saúde que, equivocadamente, estipulam a idade mínima de 18 anos como critério para disponibilização do DIU (Gonzaga, 2016).…”
Section: Atitudes Sobre O Diuunclassified
See 1 more Smart Citation
“…(OMS, 2015;Brasil, 2016). Isso pode ser reflexo das barreiras impostas pelos serviços de saúde que, equivocadamente, estipulam a idade mínima de 18 anos como critério para disponibilização do DIU (Gonzaga, 2016).…”
Section: Atitudes Sobre O Diuunclassified
“…Apesar de não ser competência exclusivamente médica, as mulheres acreditam que apenas o profissional médico pode inserí-lo, provavelmente porque essa é a realidade na maioria dos serviços de saúde que disponibilizam o DIU. Estudo realizado em Minas Gerais mostrou que é apenas o médico quem tem realizado o procedimento de inserção do DIU naquela região(Gonzaga, 2016). Entretanto, é necessário destacar que o enfermeiro treinado e capacitado pode inserir e retirar o DIU (WHO, 2012), tendo competência legal para tal prática no Brasil (Parecer 17/2010/COFEN/CTLN; COREN/SP, 2016).…”
unclassified