DOI: 10.11606/d.59.2009.tde-23042010-154811
|View full text |Cite
|
Sign up to set email alerts
|

Aspectos reprodutivos de rainhas africanizadas (Apis mellifera L.): influência do peso ao nascer no desempenho das colônias

Abstract: pela preciosa ajuda de campo sem as quais estes trabalho não teria se concretizado, assim como pelas conversas, conselhos e momentos de descontração, indispensáveis no decorrer dessa jornada; À secretária do Programa de pós-graduação em Entomologia, Renata Andrade Cavallari, pelos auxílios burocráticos e paciência em ajudar;Ao designer Agamenon A. S. Segundo, pelas preciosas e enroladas contribuições gráficas. Obrigada pela paciência e dedicação; À fisioterapeuta Poliana A. Souza, pela atenção em manter-me fis… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
1
1

Citation Types

0
0
0
2

Publication Types

Select...
1

Relationship

0
1

Authors

Journals

citations
Cited by 1 publication
(2 citation statements)
references
References 8 publications
(8 reference statements)
0
0
0
2
Order By: Relevance
“…Desta forma, a metodologia de introduzir geleia real em um segundo momento para a mesma larva parece não ser adequada, pois além de poder reduzir a quantidade de rainhas emergidas, também afetou o desenvolvimento das rainhas que sobreviveram. A massa média do corpo das rainhas africanizadas obtidas neste experimento não alcançou a média ideal esperada para rainhas selecionadas geneticamente, que é de cerca de 0,180 g (Sousa, 2009).…”
Section: Cearáunclassified
See 1 more Smart Citation
“…Desta forma, a metodologia de introduzir geleia real em um segundo momento para a mesma larva parece não ser adequada, pois além de poder reduzir a quantidade de rainhas emergidas, também afetou o desenvolvimento das rainhas que sobreviveram. A massa média do corpo das rainhas africanizadas obtidas neste experimento não alcançou a média ideal esperada para rainhas selecionadas geneticamente, que é de cerca de 0,180 g (Sousa, 2009).…”
Section: Cearáunclassified
“…Para o incremento da produção apícola, recomenda-se a troca anual de rainhas por outras geneticamente superiores, que tenham no máximo um mês de vida e uma massa corporal superior a 180mg ao emergirem (Cobey, 2007;Akyol et al, 2008;Sousa 2009;Rangel, Keller & Tarpy, 2013). Sousa (2009) demonstrou que a longevidade média das rainhas de abelhas Apis mellifera L. que emergiram com peso inferior a 180mg, foi de apenas 9 meses, enquanto que as rainhas que emergiram com peso superior a 200mg tiveram longevidade de 19 meses.…”
Section: Introductionunclassified