2020
DOI: 10.11606/issn.1982-8160.v14i2p217-240
|View full text |Cite
|
Sign up to set email alerts
|

A raça e o gênero da estética e dos afetos: algoritmização do racismo e do sexismo em bancos contemporâneos de imagens digitais

Abstract: Este artigo questiona os processos de algoritmização do racismo e sexismo em bancos de imagem digitais. Dispositivos essenciais para a manutenção da engrenagem midiática e comunicacional, estes bancos ajudam a guiar os sentidos sobre ser mulher e ser negro por meio de modos sutis de construção de subjetivação. Foram analisadas as palavras-chaveaggressiveness, kindness, beauty e ugliness, nos bancos de imagem Getty Images e Shutterstock, abrangendo as dimensões estética e afetiva dos vieses discriminatórios imp… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
1
1
1
1

Citation Types

0
0
0
4

Year Published

2021
2021
2023
2023

Publication Types

Select...
4
1

Relationship

1
4

Authors

Journals

citations
Cited by 5 publications
(8 citation statements)
references
References 31 publications
0
0
0
4
Order By: Relevance
“…Na entrevista, a atleta mantém o raciocínio de fomentar uma narrativa de injustiça através de distinções hierárquicas ao pontuar que "as três atletas que estão no pódio geram muita controvérsia" (Critchley 2016). As três atletas que ganharam a prova eram africanas, mulheres pretas com uma expressão de gênero fora do padrão de uma feminilidade hegemônica, isto é, branca, delicada e heterossexual (Carrera 2020;Butler 2019;Gonzalez 1984), representando países sem tanta liderança na governança internacional do atletismo. 10 para a polonesa, "é um pouco estranho MANA 29(3): e2023035, 2023 -https://doi.org/10.1590/1678-49442023v29n3e2023035.pt que as autoridades não façam nada a respeito disso", já que as "colegas têm um nível de testosterona muito alto, semelhante ao de um homem, e é por isso que elas se parecem e correm desse jeito" (Critchley 2016).…”
Section: Corpo Performance E Integridade Em Tramas Coloniaisunclassified
“…Na entrevista, a atleta mantém o raciocínio de fomentar uma narrativa de injustiça através de distinções hierárquicas ao pontuar que "as três atletas que estão no pódio geram muita controvérsia" (Critchley 2016). As três atletas que ganharam a prova eram africanas, mulheres pretas com uma expressão de gênero fora do padrão de uma feminilidade hegemônica, isto é, branca, delicada e heterossexual (Carrera 2020;Butler 2019;Gonzalez 1984), representando países sem tanta liderança na governança internacional do atletismo. 10 para a polonesa, "é um pouco estranho MANA 29(3): e2023035, 2023 -https://doi.org/10.1590/1678-49442023v29n3e2023035.pt que as autoridades não façam nada a respeito disso", já que as "colegas têm um nível de testosterona muito alto, semelhante ao de um homem, e é por isso que elas se parecem e correm desse jeito" (Critchley 2016).…”
Section: Corpo Performance E Integridade Em Tramas Coloniaisunclassified
“…Com o objetivo, então, de identificar os lugares desses mecanismos nessa conjuntura, discutem-se aqui suas dinâmicas operacionais (aqui representados pelo Shutterstock e pelo Getty Images 5 ) e seus treinamentos algorítmicos, suas dinâmicas de atribuição de relevância, bem como são analisados os resultados de busca na associação com padrões coloniais re-produzidos na contemporaneidade. Em trabalhos anteriores, foi possível perceber, por exemplo, que esses bancos reproduzem dinâmicas desiguais a respeito de profissão e renda (Carrera, 2020a); corroboram para legitimar o preterimento afetivo vivido pelas mulheres negras (Carrera e Carvalho, 2019), assim como aprofundam e fortalecem estereótipos afetivos e estéticos, quando atribuem agressividade e feiura ao corpo negro e gentileza e beleza ao corpo branco (Carrera, 2020b). Expondo, portanto, a opacidade algorítmica que não evidencia seus processos de construção de relevância de modo facilitado, entende-se a complexidade das dinâmicas produtivas desses repositórios de imagem, que são alimentados, sobretudo, por fotógrafos autônomos.…”
Section: Colonialidade Algorítmica E Bancos De Imagensunclassified
“…No entanto, em algumas etapas da análise, são apresentados dados quantitativos como forma de expor silenciamentos ou superexposições de grupos sociais, sob o recorte de gênero e raça, em determinados contextos imagéticos. Foram analisados os bancos de imagens Shutterstock e Getty Images, com as palavras-chave "black woman" e "white woman", assim como "nanny" e "babá", aliando aos resultados encontrados em trabalhos anteriores a respeito das palavras-chave "aggressiveness" e "beauty" (Carrera, 2020b).…”
Section: Delineamentos Metodológicosunclassified
See 2 more Smart Citations