2020
DOI: 10.1590/s0104-59702020000100004
|View full text |Cite
|
Sign up to set email alerts
|

A psicanálise e as transformações na concepção da infância nas crônicas e colunas de Clarice Lispector, 1952-1973

Abstract: Resumo O artigo estuda o papel da psicologia na transformação dos modos de conceber a infância nas décadas de 1950 a 1970, tendo como foco as colunas e crônicas publicadas em revistas e jornais de ampla circulação por Clarice Lispector entre 1952 e 1973. Delas emerge um novo paradigma que considera os filhos mistérios psicológicos no interior do âmbito doméstico, objeto de investigação por parte da mãe, e que entende a infância como núcleo do psiquismo adulto. Trata-se de um modelo biopsicológico, que combina … Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
2
1
1

Citation Types

0
0
0
4

Year Published

2021
2021
2023
2023

Publication Types

Select...
2
2

Relationship

1
3

Authors

Journals

citations
Cited by 4 publications
(4 citation statements)
references
References 7 publications
(5 reference statements)
0
0
0
4
Order By: Relevance
“…Estou felizmente mais doida". Lispector é motor de um discurso sobre a saúde mental que quebra os estigmas associados à loucura, à depressão, à doença e ao sofrimento psíquico, servindo como companhia e inspiração para que os leitores explorem seu próprio psiquismo e sua subjetividade, ponto forte para a obra Lispector, motor importante da sua escrita (Josiowicz, 2020). Por seu lado, Borges é bastante acionado para criticar as medidas de distanciamento e isolamento instauradas em vários países, como Venezuela, Colômbia, Equador, Argentina e Brasil.…”
Section: Nomes De Usuáriosunclassified
See 1 more Smart Citation
“…Estou felizmente mais doida". Lispector é motor de um discurso sobre a saúde mental que quebra os estigmas associados à loucura, à depressão, à doença e ao sofrimento psíquico, servindo como companhia e inspiração para que os leitores explorem seu próprio psiquismo e sua subjetividade, ponto forte para a obra Lispector, motor importante da sua escrita (Josiowicz, 2020). Por seu lado, Borges é bastante acionado para criticar as medidas de distanciamento e isolamento instauradas em vários países, como Venezuela, Colômbia, Equador, Argentina e Brasil.…”
Section: Nomes De Usuáriosunclassified
“…Esse tipo de uso não é uma novidade: na Argentina, desde as primeiras décadas do século XX, a literatura de folhetim, na qual o "sentimental", as emoções e os afetos, cumpriu papel central, contribuiu para treinar um público alheio às elites culturais e literárias, de setores médios e populares, sobretudo mulheres e jovens, nas práticas de leitura (Sarlo, 2011). Esteve presente em Clarice Lispector, que foi uma leitora de textos terapêuticos, psicológicos e manuais de autoajuda e que incorporou essa literatura psicanalítica e de autoajuda nas suas crônicas nos jornais e colunas em revistas (Josiowicz, 2020).…”
Section: Introductionunclassified
“…A literatura de Clarice Lispector é vasta e a sua biografia também tem sido bastante explorada como forma de conhecer aspectos da sua obra, das suas personagens e também de como esses elementos se costuram à história da própria autora. Esse interesse tem atravessado muitos diálogos assumidos pela Psicologia e pela psicanálise (JOSIOWICZ, 2020;POJAR;SANCHES, 2019;SCORSOLINI-COMIN, 2019SANTOS, 2010;SILVA, 2018aSILVA, , 2018bSILVA, 2017;RUFINONI, 2016). Leite (1987) destaca que, para se estudar um determinado autor ou obra, deve-se levar em consideração que o processo criativo do escritor está sempre pautado no quadro de referências da época em que está inserido, considerando também as condições do criador e a reação ao trabalho artístico.…”
Section: Capítulo 2 100 Anos De Clarice Lispectorunclassified
“…Na nova cidade, pacata, a intensidade de Clarice se contrapõe, trazendo para ela grande angústia, e quiçá, depressão, pois não conseguia viver e escrever da maneira como gostaria, deixando-a muito perturbada (GOTLIB, 2011). Deste modo, enquanto esteve na Suíça, começou a fazer terapia psicanalítica e, sobre isto, pode-se considerar que houve grande influência sobre o seu pensamento e fez grandes contribuições, tanto que em sua biblioteca havia livros de Psicologia, sexualidade e psicanálise (JOSIOWICZ, 2020). Na biografia escrita por Moser (2017) destaca-se que após seis anos de análise, um de seus psicanalistas, Jacob David Azulay, viu-se esgotado, obtendo poucos resultados com Clarice e aconselhando-a abandonar o tratamento com ele.…”
Section: Capítulo 2 100 Anos De Clarice Lispectorunclassified