2014
DOI: 10.3395/vd.v2i2.123
|View full text |Cite
|
Sign up to set email alerts
|

A promoção da saúde pelas ondas do rádio: um foco na propaganda de medicamentos

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
1
1

Citation Types

0
0
0
2

Year Published

2022
2022
2024
2024

Publication Types

Select...
2

Relationship

0
2

Authors

Journals

citations
Cited by 2 publications
(2 citation statements)
references
References 0 publications
0
0
0
2
Order By: Relevance
“…Nos últimos anos, em todo o mundo, a população idosa vem crescendo em ritmo acelerado, o que pode ser explicado pela diminuição da mortalidade e das taxas de fecundidade. Essa longevidade também pôde ser observada no Brasil, e teve como consequência um aumento na demanda dos serviços de saúde decorrente, principalmente, do agravo dos processos patológicos e das mudanças fisiológicas próprias da idade, que colaboram para que os idosos precisem de farmacoterapia aumentada (Mendonça et al, 2014).…”
Section: Idososunclassified
“…Nos últimos anos, em todo o mundo, a população idosa vem crescendo em ritmo acelerado, o que pode ser explicado pela diminuição da mortalidade e das taxas de fecundidade. Essa longevidade também pôde ser observada no Brasil, e teve como consequência um aumento na demanda dos serviços de saúde decorrente, principalmente, do agravo dos processos patológicos e das mudanças fisiológicas próprias da idade, que colaboram para que os idosos precisem de farmacoterapia aumentada (Mendonça et al, 2014).…”
Section: Idososunclassified
“…Essa longevidade também pôde ser observada no Brasil, e teve como consequência um aumento na demanda dos serviços de saúde decorrente, principalmente, do agravo dos processos patológicos e das mudanças fisiológicas próprias da idade, que colaboram para que os idosos precisem de farmacoterapia aumentada. 3,4 Em 2012, a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) revelou que a população brasileira se manteve em direção ao envelhecimento, pois apenas nos cinco anos anteriores havia ganhado 4,8 milhões de idosos, passando à marca dos 30,2 milhões em 2017. Conforme essa lógica, as previsões dão conta de que, no ano de 2025, o Brasil deve vir a ocupar o sexto lugar na classificação mundial de idosos.…”
Section: Introductionunclassified