2021
DOI: 10.5007/2175-8026.2021.e73796
View full text
|
|
Share

Abstract: O trabalho analisa como escritores ameríndios desenham um mapa de uma geografia crítica ao delinear a inter-relacionada brutalização dos seres humanos e do (meio) ambiente na interface colonização/ descolonização. Baseado numa abordagem teórica comparativa e interdisciplinar, embutida nos Estudos Culturais/ Pós-Coloniais e na Ecocrítica, o ensaio problematiza a questão da identidade ameríndia atrelada à terra e à prática da cultura e língua dentro de contextos de (neo)colonialidade e revela a relação quebrada …

Expand abstract