2022
DOI: 10.22409/1984-0292/v33i3/5746 View full text |Buy / Rent full text
|
|

Abstract: Este artigo realiza uma análise teórica em formato de problematização de acontecimentos atuais, entre eles, em especial, a medicalização pela gestão dos riscos, na educação, na cidade, no trabalho e na família. Para tanto, apresenta subsídios conceituais, baseados na filosofia, psicologia, educação, sociologia e história. Práticas da Organização Mundial da Saúde sobre a classificação dos corpos e as políticas decorrentes são parte da engrenagem de medicalização da educação e da sociedade, no presente, por meio… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance
Select...
1
1
0
0
0
2

Year Published

2022
2022
2022
2022

Publication Types

Select...
1

Relationship

0
1

Authors

Journals

0
0
0
2
Order By: Relevance
“…Ainda, com relação ao Código de Menores (1927), o fator pobreza justificava o abrigamento de crianças e adolescentes e era algo introjetado pelas próprias famílias pobres, que consideravam a institucionalização de seus filhos uma opção melhor do que viver em condições de pobreza. Assim, as próprias famílias eram subjetivadas a partir da crença de que, ao internar seus filhos, estariam protegendo-os (Nascimento, 2012;Lemos et al, 2021). Relacionamos esse efeito de produção de subjetivação com a concepção de que existiria uma forma correta de educar que, como veremos, se faz presente, atualmente, nas orientações dadas às famílias pelas áreas psi.…”
Section: /12unclassified
See 1 more Smart Citation
Create an account to read the remaining citation statements from this report. You will also get access to:
  • Search over 1.2b+ citation statments to see what is being said about any topic in the research literature
  • Advanced Search to find publications that support or contrast your research
  • Citation reports and visualizations to easily see what publications are saying about each other
  • Browser extension to see Smart Citations wherever you read research
  • Dashboards to evaluate and keep track of groups of publications
  • Alerts to stay on top of citations as they happen
  • Automated reference checks to make sure you are citing reliable research in your manuscripts
  • 7 day free preview of our premium features.

Trusted by researchers and organizations around the world

Over 130,000 students researchers, and industry experts at use scite

See what students are saying

rupbmjkragerfmgwileyiopcupepmcmbcthiemesagefrontiersapsiucrarxivemeralduhksmucshluniversity-of-gavle
“…Ainda, com relação ao Código de Menores (1927), o fator pobreza justificava o abrigamento de crianças e adolescentes e era algo introjetado pelas próprias famílias pobres, que consideravam a institucionalização de seus filhos uma opção melhor do que viver em condições de pobreza. Assim, as próprias famílias eram subjetivadas a partir da crença de que, ao internar seus filhos, estariam protegendo-os (Nascimento, 2012;Lemos et al, 2021). Relacionamos esse efeito de produção de subjetivação com a concepção de que existiria uma forma correta de educar que, como veremos, se faz presente, atualmente, nas orientações dadas às famílias pelas áreas psi.…”
Section: /12unclassified
“…(Nogueira, 2005, pp. 160-161) Ou seja, um caminho com percalços, um filho com mau desempenho escolar ou que desobedece traria a sensação de que haveria procedimentos que não foram seguidos -procedimentos, receitas e prescrições também presentes nos diagnósticos e na intensa medicalização de crianças e adolescentes na atualidade (Lemos et al, 2021). Assim, esses discursos de orientação podem, ao transmitir um saber visando colaborar com a educação dessas famílias, produzir culpa e arrependimento, tornando-se, então, discursos com os efeitos de dominação de que falávamos no início deste trabalho.…”
Section: Lívia Anicet Zanini • Adriana Marcondes Machadounclassified