2007
DOI: 10.1590/s0104-93132007000200009
View full text |Buy / Rent full text
|
Sign up to set email alerts
|

Abstract: Este artigo objetiva analisar de que forma os migrantes italianos que rumaram para a região central do estado do Rio Grande do Sul 1 nas últimas três décadas do século XIX conduziram o processo colonizador, e com quais categorias sociais estabeleceram as relações entre si e com a sociedade local e nacional. Para tal, farei uso de memórias escritas por dois desses migrantes e traduzidas para publicação por seus descendentes: Julio Lorenzoni 2

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
1
1
1

Citation Types

0
0
0
5

Year Published

2013
2013
2021
2021

Publication Types

Select...
4

Relationship

0
4

Authors

Journals

citations
Cited by 7 publications
(5 citation statements)
references
References 1 publication
(5 reference statements)
0
0
0
5
Order By: Relevance
“…As sociedades indus- A brasilidade desses imigrantes foi, de certa forma, construída atrelada à noção da terra como propriedade, da comida e da manutenção da ordem familiar. A comida, aliás, desempenhará um papel adscritivo fundamental na condição de colono 3 italiano (Zanini, 2007).…”
Section: Memória E Imagináriounclassified
“…As sociedades indus- A brasilidade desses imigrantes foi, de certa forma, construída atrelada à noção da terra como propriedade, da comida e da manutenção da ordem familiar. A comida, aliás, desempenhará um papel adscritivo fundamental na condição de colono 3 italiano (Zanini, 2007).…”
Section: Memória E Imagináriounclassified
“…-valeram-se de narrativas de descoberta e domesticação da natureza inóspita a que estiveram sujeitos os assim chamados desbravadores, a fim de contar a saga desses imigrantes no novo território. Na antropologia, o conjunto dessas histórias -escritas ou narradas -costuma ser abordado no registro de um processo colonizador sobre as populações e as paisagens nativas, problematizando-as como estratégias de sobrevivência que permitiriam aos que chegam costurar um senso de coletividade baseado na reinvenção mais ou menos sincrética de elementos diversos como religiosidade, família, estilos de vida, imagens, formas de sociabilidade, usos do dinheiro, e por aí afora (Fouquet 1974;Oberacker 1957Oberacker , 1978Trespach 2010;Zanini 2007).…”
Section: A C U Lt U R a A O T U R I S M O C U Lt U R A Lunclassified
“…Para os imigrantes teuto-italianos situados ao pé da Serra Gaúcha, o projeto de integração à cultura nacional sempre foi problemático e acompanhado de tensões entre a parte e o todo, entre o local e o global, entre a identidade regional e a identidade nacional (Oliven 1992). Diversos trabalhos apontam que a configuração dos laços étnicos locais desembocou na organização de comunidades de pertencimento cujas fronteiras passaram a ser tecidas a partir da evocação do germanismo local como uma espécie de contraponto ao risco, sempre presente, da assimilação à identidade nacional (Fouquet 1974;Oberacker 1957Oberacker , 1978Trespach 2010;Zanini 2007).…”
Section: Artigosunclassified
“…A produção do alimento estava diretamente relacionada à sua extração do ambiente natural, envolvendo o trabalho braçal de todos os membros da família que tivessem condições de auxiliar, sendo sempre penosa e estafante. Ao analisar a condução da colonização da Região Central do Rio Grande do Sul,Zanini (2007) esclarece que "o processo colonizador se reveste de uma aura civilizatória, civilização esta, calcada numa domesticação do espaço e dos processos produtivos em consonância com os modelos trazidos da Europa" (p. 16). feijão e o milho foram os primeiros cultivos, juntamente com a mandioca e a batata.…”
unclassified