2017
DOI: 10.26605/medvet-n1-1596
View full text |Buy / Rent full text
|
Sign up to set email alerts
|

Abstract: ResumoA dor é relatada como uma sensação desconfortável associada a uma lesão tecidual, capaz de proporcionar grandes transtornos para a saúde do animal por meio de uma ampla variedade de mecanismos neuroendócrinos como a liberação de adrenalina e aumento da glicemia, que podem inclusive resultar na morte do paciente. Ao compreender todos os processos fisiopatológicos envolvidos na percepção da dor e como reconhecê-la nos animais, o médico veterinário será capaz de instituir a terapia mais apropriada para cada… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance

Paper Sections

Select...
2
1
1

Citation Types

0
0
0
4

Year Published

2020
2020
2021
2021

Publication Types

Select...
3

Relationship

0
3

Authors

Journals

citations
Cited by 3 publications
(20 citation statements)
references
References 11 publications
(20 reference statements)
0
0
0
4
Order By: Relevance
“…O pós-operatório mostrou-se complicado, paciente não permitindo manipulação, demonstrou sinais de dor, como agressividade, anorexia e muito relutante em realizar movimentações até mesmo para urinar e defecar. A dor é de difícil reconhecimento nas espécies, mas pode alterar diversos sistemas, e levar a retenção urinária conforme Aleixo et al (2017). O mesmo foi observado na paciente durante período de internamento.…”
Section: Resultsunclassified
“…O pós-operatório mostrou-se complicado, paciente não permitindo manipulação, demonstrou sinais de dor, como agressividade, anorexia e muito relutante em realizar movimentações até mesmo para urinar e defecar. A dor é de difícil reconhecimento nas espécies, mas pode alterar diversos sistemas, e levar a retenção urinária conforme Aleixo et al (2017). O mesmo foi observado na paciente durante período de internamento.…”
Section: Resultsunclassified
“…Na fisiopatologia da dor há a ativação do sistema nervoso autônomo simpático a partir da liberação das catecolaminas, resultando em estresse, aumento da frequência cardíaca, frequência respiratória, pressão arterial, arritmias, salivação, midríase e sudorese (Aleixo et al, 2017). Quando prolongada, essa ativação pode gerar efeitos prejudiciais para o organismo como a má perfusão regional e comprometimento do funcionamento dos órgãos vitais (Faleiros et al, 1997).…”
Section: Discussionunclassified
“…Portanto, quando foi observado o aumento de frequência cardíaca, frequência respiratória e midríase durante o transoperatório, optou-se pela aplicação do fentanil, pressupondo que as pacientes (G1n1 e G2n2) poderiam estar sentindo dor. Aleixo et al (2017) esclarece a importância do cuidado especial em pacientes com dor, já que essa está relacionada também com a ativação do sistema neuroendócrino. Esse sistema quando ativado aumenta os níveis de hormônios catabólicos (catecolaminas, cortisol, glucagon e hormônio do crescimento) e promove a diminuição de mediadores anabólicos (testosterona e insulina) (Faleiros et al, 1997).…”
Section: Discussionunclassified
“…Como métodos farmacológicos para atenuar dores leves a moderadas podem ser utilizados os opioides de baixa potência e os anti-inflamatórios não esteroides. Para o controle de dores moderadas a graves são utilizados os opioides potentes, como a morfina (Garcia et al, 2016), e o fentanil considerado alternativa excelente para analgesia, mais potente que a morfina, apresenta-se na forma adesiva, permite facilidade em administrar e manter, não invasivo, promovendo diminuição dos efeitos colaterais e baixo custo (Aleixo et al, 2017). Os fitoterápicos são medicamentos originados de plantas medicinais, que além de amenizar a dor, melhoram a função dos órgãos, a exemplo da silimarina (Silybum marianum) que funciona como protetor hepático, a meadowsweet (Filipendula ulmaria) que apresenta efeito instantâneo na dor e inflamação.…”
Section: Medicações E Métodos Para Amenizar a Dorunclassified