2015
DOI: 10.1590/0034-7329201500111 View full text |Buy / Rent full text
|
|

Abstract: This article addresses three questions: why there was a surge in regional cooperation projects in Latin America in the last decade; how to characterize the current multi-faceted scenario; and how to make this complexity work. After a review of six theoretical perspectives, an original conceptual approach is proposed: "modular regionalism." This credibly answers the three questions and offers policy recommendations.

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance
Select...
3
1
1
0
15
0
8

Year Published

2016
2016
2019
2019

Publication Types

Select...
2
1

Relationship

0
3

Authors

Journals

0
15
0
8
Order By: Relevance
“…According to that publication, 'what seems to be a differential is the influence exerted by the left and progressive parties and/or sectors on foreign policy directives, which put pressure towards an integrationist, Latin American, and solidary orientation' (Budini 2010: 16). Furthermore, the return of the state at the domestic level, as discussed briefly in the previous section, was followed by a regained centrality of the state as the main promoter of regional development and projects (Gardini 2011).…”
Section: Regional Integration: Co-operation And/as Fragmentationmentioning
“…But 'post-neoliberal' is not the only adjective used to qualify these new institutional experiments. The others, as discussed by Gardini (2015), not only highlight the various rationales that underpin their proliferation, but also suggest divergent explanations for their emergence. As the author puts it:…”
Section: Regional Integration: Co-operation And/as Fragmentationmentioning
See 1 more Smart Citation
“…Pode-se constatar, com relativa facilidade, que o surgimento do PEIBF ocorreu no bojo de discussões e medidas anteriores e posteriores de aproximação, integração e cooperação bilaterais Brasil-Argentina, bem como no nível Regional, no âmbito do MERCOSUL, nas quais o bilinguismo português-espanhol faz sentido como discurso e como solução geopolítica. Pode-se dizer, acompanhando Gardini (2015) que a integração regional na América Latina, ao contrário do que ocorre em outras iniciativas integracionistas, tem características modulares: ela não é realizada por um projeto integracionista central, como a União Europeia no caso do continente europeu, mas por uma diversidade de instituições com vocações específicas, e até temporárias, que se sucedem e assumem diversas tarefas.…”
Section: Cooperação E Integração Latino-americanas E As Políticas Linunclassified
“…Vale destacar que, a composição interna do módulo pode ser alteradatotal, parcial ou pontualmente -e ainda, que os Estados podem optar por fazer parte de um ou mais módulos, bem como, renunciar a um ou mais módulos. (Gardini, 2015) A proliferação de módulos representa uma maior disponibilização de opções para que os Estados/governos possam escolher melhor em qual delas desejam participar, isto é, qual deles (ou a combinação de qual deles) representam melhor os seus interesses. (Gardini, 2013) Dessa forma, nenhum Estado/governo se sente coagido em participar de todas as iniciativas ou programas, nem tampouco, pactuar com todas as políticas do bloco, restando ainda, a opção de se envolver em temáticas, arenas e em políticas públicas a qual estes consideram importantes, pensadas a partir e de acordo com as suas próprias perspectiva e os seus interesses.…”
Section: Percepção Modular Da Arquitetura Regionalunclassified