2022
DOI: 10.1590/0102.3772e38546 View full text |Buy / Rent full text
|
|

Abstract: Resumo A Teoria Funcionalista dos Valores Humanos (TFVH) compreende os valores como princípios-guia gerais, transcendendo objetos ou situações específicas. Objetivou-se testar as hipóteses de conteúdo e a estrutura da TFVH. Participaram 634 universitários (M idade =22,6), sendo a maioria mulheres (51,3%). Com a análise fatorial confirmatória (e.g., CFI=0,97, TLI=0,96 e RMSEA=0,04), testou-se a hipótese de conteúdo. Com o escalonamento multidimensional confirmatório (Proxscal), testou-se a hipótese de estrutura… Show more

Help me understand this report

Search citation statements

Order By: Relevance
Select...
2
0
0
0
2

Year Published

2022
2022
2022
2022

Publication Types

Select...
1

Relationship

0
1

Authors

Journals

0
0
0
2
Order By: Relevance
“…Em um estudo nacional, realizado por Winzer (2016), fazendo uso de uma revisão de literatura, obteve-se como resultado que cerca de 40% das mulheres relatam sofrer algum tipo de agressão. (2) metas pessoais, representando pessoas voltadas a si mesmas; e (3) centrais, representando um propósito geral de vida (Silva et al, 2022). Segundo as preposições teóricas da TFVH, os três tipos de orientações e os dois tipos motivadores, se sobrepõem, resultando em um modelo 3 x 2, que origina seis subfunções valorativas: interativa, normativa, suprapessoal, existência, experimentação e realização (Gouveia, 2013), apresentando as seguintes descrições: Subfunção Interacional: possui um motivador humanitário e uma orientação social.…”
Section: Introductionunclassified
“…Considerando esta última variável, sabe-se que os valores humanos tem contribuído para o entendimento de fatores que perpassam os vínculos conjugais, a exemplo do perdão (Fonsêca et al, 2017) e da satisfação (Almeida, 2016). Compreendo assim, os valores humanos como variáveis importantes para a explicação dos comportamentos humanos (Couto et al, 2021); por exemplo, diferentes condutas (Medeiros et al, 2017;Monteiro et al, 2017;Silva et al, 2022) e crenças (Nascimento, 2015).…”
Section: Introductionunclassified